Covid-19: Autoridades timorenses preocupadas com eventuais contágios na zona fronteira

Equipas de vigilância estão a desdobrar-se na zona de Bobonaro, a 112 quilómetros sudoeste de Díli, no intuito de identificar os passageiros que viajaram com um cidadão timorense que entrou irregularmente no país e testou positivo à covid-19.

Covid-19: Autoridades timorenses preocupadas com eventuais contágios na zona fronteira

Covid-19: Autoridades timorenses preocupadas com eventuais contágios na zona fronteira

Equipas de vigilância estão a desdobrar-se na zona de Bobonaro, a 112 quilómetros sudoeste de Díli, no intuito de identificar os passageiros que viajaram com um cidadão timorense que entrou irregularmente no país e testou positivo à covid-19.

Equipas de vigilância estão a desdobrar-se na zona de Bobonaro, a 112 quilómetros sudoeste de Díli, no intuito de identificar os passageiros que viajaram com um cidadão timorense que entrou irregularmente no país e testou positivo à covid-19.

“É uma situação preocupante e a urgência agora é identificar o resto dos passageiros que viajaram com o rapaz que testou positivo”, disse à Lusa fonte da Sala de Situação do Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC), que está a acompanhar a covid-19.

“Esta situação na fronteira está a suscitar grande preocupação e é necessário um reforço dos controlos”, explicou a mesma fonte.

A preocupação sobre a situação na fronteira é um dos temas na agenda da reunião extraordinária do Conselho de Ministros convocada para a tarde de segunda-feira, segundo disse à Lusa fonte do executivo.

Em causa poderá estar o eventual destacamento de efetivos adicionais das Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL) para apoiar a polícia no patrulhamento fronteiriço e tentar travar as entradas irregulares de cidadãos timorenses no país.

As preocupações surgem em torno de um homem de 20 anos que viajou clandestinamente em 05 de fevereiro para Atambua, na metade indonésia da ilha de Timor, para ver a família, regressando a Timor-Leste cinco dias depois.

Em 10 de fevereiro alugou uma ‘Ojek’ — uma mota-taxi — que o transportou do lado indonésio até à vila de Maliana onde posteriormente viajou em transporte público (angguna) com mais 11 pessoas: o motorista e 10 passageiros.

A maior parte dos passageiros saiu na zona do suco de Lourbá, a cerca de sete quilómetros de Bobonaro, tendo o passageiro positivo e outros quatro continuado viagem até Bobonaro, a capital do distrito de Maliana, um dos que faz fronteira com a Indonésia.

“A comunidade da zona, onde o homem não tinha família, informou as autoridades de segurança e as equipas de vigilância do município, que iniciaram de imediato uma investigação”, explicou hoje um dos coordenadores da comissão responsável pelo combate à covid-19, Nilton do Carmo da Silva.

O homem, o motorista (…) e o seu ajudante foram levados para quarentena em Batugadé onde foram submetidos a teste, tendo as análises confirmado no sábado o seu resultado positivo.

“As equipas de seguimento estão a tentar identificar os restantes passageiros (…), e que continuam a ser procurados”, detalhou aos jornalistas.

Numa mensagem na sua página pessoal na rede social Facebook – o ex-primeiro-ministro e ex-ministro da Saúde Rui Araújo e atual coordenador da força-tarefa para a Prevenção e Mitigação da covid-19 da Sala de Situação, disse que o caso de Lourbá indicia que possa haver transmissão local em Timor-Leste.

“Votos de sucesso para os colegas da vigilância epidemiológica do Município de Bobonaro e do Centro de Saúde de Bobonaro, que continuam à procura das pessoas que viajaram na angguna no dia 11 de fevereiro entre Maliana e Bobonardo, entre os quais um cidadão que testou positivo”, escreveu.

Este é o segundo susto recente depois de uma mulher ter entrado irregularmente e ter conseguido chegar a Díli, onde a sua família informou as autoridades que depois de a colocar em quarentena realizaram um teste que deu positivo.

As equipas de vigilância fizeram o rastreio de contactos não tendo sido detetados outros casos positivos.

Timor-Leste tem atualmente 40 casos ativos da covid-19, 39 dos quais em isolamento em Vera Cruz, Díli — espaço com capacidade máxima para 50 pessoas -, e um no enclave de Oecusse Ambeno.

Desde o início da pandemia, o país registou um total de 102 casos.

 

Impala Instagram


RELACIONADOS