Covid-19: Anticorpos em imunodeprimidos crescem mais 43% após terceira dose

As pessoas imunodeprimidas menores de 65 anos que receberam a terceira dose da vacina Pfizer em Israel desenvolveram 43% mais anticorpos que depois da segunda injeção, revela um estudo do Centro Médico Sourasky de Telavive.

Covid-19: Anticorpos em imunodeprimidos crescem mais 43% após terceira dose

Covid-19: Anticorpos em imunodeprimidos crescem mais 43% após terceira dose

As pessoas imunodeprimidas menores de 65 anos que receberam a terceira dose da vacina Pfizer em Israel desenvolveram 43% mais anticorpos que depois da segunda injeção, revela um estudo do Centro Médico Sourasky de Telavive.

O estudo, divulgado hoje em media israelitas, envolveu 240 pacientes imunodeprimidos que receberam a terceira dose da vacina contra a covid-19 desde que o governo aprovou a medida no mês passado. Segundo os investigadores, apenas 25% dos pacientes transplantados tiveram uma resposta de anticorpos à vacina após a primeira e a segunda doses, mas depois da terceira a resposta rondou os 50%, refere a agência noticiosa espanhola EFE.

Na semana passada, o Centro Médico Rabin-Beilinson Campus em Petah Tikva publicou um relatório semelhante, indicando que com a terceira vacina duplicava o número de transplantados que desenvolviam anticorpos contra o coronavírus. O governo israelita aprovou na sexta-feira a vacinação dos maiores de 50 anos, operação que começa no domingo e que já conta com mais de 50.000 pessoas inscritas.

Depois de ter começado a dar a terceira dose da vacina aos imunodeprimidos em meados de julho, Israel aprovou a administração de uma terceira dose a maiores de 60 anos no final do mesmo mês, injeção que já foi recebida por mais de 775.000 pessoas. Israel é um dos países pioneiros na administração de uma terceira dose da vacina contra a covid-19, depois de uma rápida campanha de vacinação no início do ano que, meses depois, conseguiu reduzir quase a zero as infeções e permitiu a suspensão de praticamente todas as restrições

Existem, no entanto, 1,1 milhões de israelitas que recusam ser vacinados, o que aliado ao aparecimento da contagiosa variante Delta do vírus terá provocado a quarta vaga de infeções no país, que continuam a aumentar, com os novos casos diários a rondarem os 6.000 na última semana.

A covid-19 provocou pelo menos 4.333.013 mortes em todo o mundo, entre mais de 205,3 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse. A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 na China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS