Covid-19: Alto Comissariado da Guiné-Bissau pede apoio para aumentar distribuição de máscaras

O Alto Comissariado para a Covid-19 na Guiné-Bissau pediu hoje ao setor privado, organizações não-governamentais e outras instituições para ajudarem a aumentar a disponibilidade e distribuição de máscaras à população.

Covid-19: Alto Comissariado da Guiné-Bissau pede apoio para aumentar distribuição de máscaras

Covid-19: Alto Comissariado da Guiné-Bissau pede apoio para aumentar distribuição de máscaras

O Alto Comissariado para a Covid-19 na Guiné-Bissau pediu hoje ao setor privado, organizações não-governamentais e outras instituições para ajudarem a aumentar a disponibilidade e distribuição de máscaras à população.

O objetivo, segundo o comunicado enviado à imprensa pelo Alto Comissariado, é “minimizar o elevado custo da sua aquisição”.

O organismo sublinha que aumentou o número de pessoas que passou a utilizar máscara e relaciona-o com uma maior “disponibilidade” e o “preço mais acessível”.

Contudo, continua preocupado “com o facto de boa parte da população continuar a utilizar a máscara de forma incorreta”.

Também está preocupado “com o manuseamento inadequado das máscaras, no que concerne a práticas de higiene” e exorta “os vendedores a observarem técnicas de venda que não conduzam à conspurcação das máscaras”.

O alto comissariado indica também que já distribuiu cerca de meio milhão de máscaras, mas considera que não são suficientes.

“Uma máscara para cada guineense, todos os dias, é o nosso objetivo, com vista a proteção eficaz e justa a favor de todos”, refere.

A maior parte da população guineense não tem condições financeiras para mudar de máscara ao fim de quatro horas, no caso das cirúrgicas.

A Guiné-Bissau regista um total acumulado de 3.694 de casos de covid-19. Desde o início da pandemia no país já foram registadas 66 vítimas mortais.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.974.651 mortos no mundo, resultantes de mais de 138,2 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

MSE // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS