Covid-19: África lança plataforma para informar viajantes sobre restrições

Os governos africanos vão lançar uma plataforma digital conjunta para informar os viajantes sobre as restrições impostas pela covid-19 em todo o continente, foi hoje anunciado pelo Centro Africano de Controlo e Prevenção de Doenças (África CDC).

Covid-19: África lança plataforma para informar viajantes sobre restrições

Covid-19: África lança plataforma para informar viajantes sobre restrições

Os governos africanos vão lançar uma plataforma digital conjunta para informar os viajantes sobre as restrições impostas pela covid-19 em todo o continente, foi hoje anunciado pelo Centro Africano de Controlo e Prevenção de Doenças (África CDC).

Após quase seis meses de proibição de viagens internacionais para evitar a propagação do novo coronavírus, os principais aeroportos do continente retomaram agora os voos internacionais, mas com restrições específicas.

“A #Trusted Travel, My COVID Pass, fornecerá aos viajantes em África informações sobre os requisitos que terão de enfrentar para se deslocarem a diferentes países do continente”, disse o diretor do Centro Africano de Controlo e Prevenção de Doenças, John Nkengasong.

A plataforma digital oferecerá também ligações a laboratórios onde os viajantes poderão obter os resultados dos testes à covid-19, que são necessários para entrar em muitos países africanos, explicou Nkengasong numa conferência de imprensa virtual a partir de Adis Abeba, na Etiópia.

Algumas das maiores empresas laboratoriais do continente apoiaram a iniciativa.

O presidente dos Laboratórios Ampath da África do Sul, Robbie Buck, disse que os laboratórios privados de todo o continente podem entregar os resultados dos testes em 24 horas.

Desencorajou os viajantes de tentarem obter testes nos aeroportos, dizendo que a nova plataforma para África poderá permitir-lhes ir a laboratórios para rastreio e resultados de testes antes de viajar.

Para entrar na África do Sul, por exemplo, um viajante deve ter um resultado negativo do teste entregue no prazo de 72 horas antes da partida do voo. Outros países africanos têm requisitos diferentes.

“O novo website foi concebido para informar os viajantes sobre os diferentes requisitos em todo o continente”, disse Nkengasong.

Inicialmente fornecerá informação para 12 países, incluindo a Etiópia, Quénia, África do Sul e Senegal, considerados os mais importantes centros de viagens por terem elevado volumes de tráfego aéreo.

O director da Kenya Airways, Julius Thairu, afirmou que, embora as companhias aéreas estejam agora autorizadas a operar, têm muito menos passageiros do que antes do surto da covid-19, adiantando que a Kenya Airways está atualmente a operar com apenas 20% dos passageiros que tinha antes de as proibições de viagem serem impostas em resposta à pandemia.

África registou mais 175 mortes devido à covid-19 nas últimas 24 horas, subindo o número de óbitos para 36.789, num total de 1.513.858 infetados, segundo os últimos dados sobre a pandemia no continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), nas últimas 24 horas houve nos 55 Estados-membros da organização mais 7.673 casos da doença e 6.835 recuperados, para um total de 1.250.094.

Segundo o África CDC, a África Austral continua a registar o maior número de casos de infeção e de mortos, com mais 55 mortos nas últimas 24 horas, subindo para as 18.264 vítimas mortais, e o número total de infetados é agora de 746.459.

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito, em 14 de fevereiro, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

CFF // SF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS