Covid-19: 58 pessoas impedidas de entrar em Portugal no primeiro dia de controlo de fronteiras

Uma pessoa foi detida e 58 foram impedidas de entrar em Portugal nas primeiras 24 horas de reposição do controlo temporário das fronteiras devido à pandemia de Covid-19, anunciou hoje o Ministério da Administração Interna (MAI).

Covid-19: 58 pessoas impedidas de entrar em Portugal no primeiro dia de controlo de fronteiras

Covid-19: 58 pessoas impedidas de entrar em Portugal no primeiro dia de controlo de fronteiras

Uma pessoa foi detida e 58 foram impedidas de entrar em Portugal nas primeiras 24 horas de reposição do controlo temporário das fronteiras devido à pandemia de Covid-19, anunciou hoje o Ministério da Administração Interna (MAI).

O controlo das fronteiras terrestres com Espanha está a ser feito desde as 23:00 de segunda-feira em nove pontos de passagem autorizada, sendo o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) a entidade responsável pelo controlo nestes locais.

Em comunicado, o MAI refere que o SEF controlou, com a colaboração da Guarda Nacional Republicana, 5.788 pessoas nas primeiras 24 horas, 58 das quais foram impedidas de entrar em Portugal e uma foi detida por uso de autorização de residência falsa, no ponto de passagem autorizado de Vila Verde da Raia, em Chaves.

O MAI especifica que o objetivo deste controlo é “vedar as deslocações de cidadãos em turismo e lazer” entre Portugal e Espanha.

Segundo o Ministério tutelado por Eduardo Cabrita, as recusas de entrada verificaram-se em Castro Marim (32), Vilar Formoso (19) e Termas de Monfortinho (1).

O MAI refere que o ponto de passagem autorizado de Valença, em Viana do Castelo, foi o que mais pessoas controlou, um total de 3.010, seguido de Vila Verde da Raia, em Chaves, (1.061), Vilar Formoso, na Guarda (1.022), Caia, em Elvas (241), Castro Marim, em Faro (162), Quintanilha, em Bragança (181), Termas de Monfortinho, em Castelo Branco (63), Vila Verde de Ficalho, em Beja (25), Marvão, em Portalegre (23).

Além do controlo de pessoas por parte do SEF, a GNR fiscalizou 1.510 viaturas e registou um crime por condução sem carta.

Segundo o MAI, nos pontos de passagem não autorizada, 39 viaturas foram reencaminhadas para os pontos de passagem autorizada.

Ao SEF cabe o controlo documental de pessoas, enquanto a GNR é responsável pela circulação rodoviária e pela vigilância da fronteira terrestre entre os postos de passagem autorizados acima identificados.

O MAI relembra que está vedada a circulação rodoviária nas fronteiras terrestres, independentemente do tipo de veículo, com exceção do transporte internacional de mercadorias, do transporte de trabalhadores transfronteiriços e da circulação de veículos de emergência e socorro e de serviço de urgência.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 200 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.200 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 82.500 recuperaram da doença.

Em Portugal, estão confirmados 642 casos de pessoas infetadas e o número de mortos no país subiu hoje para dois.

Portugal está em estado de alerta desde sexta-feira, e o Governo colocou os meios de proteção civil e as forças e serviços de segurança em prontidão.

O parlamento aprovou hoje o projeto de declaração do estado de emergência que lhe foi submetido pelo Presidente da República com o objetivo de combater a pandemia de Covid-19.

 

CMP // JMR

Lusa/fim

 

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS