Covid-19: 327 casos ativos na esfera dos Serviços Prisionais e de Reinserção

Os casos positivos de infeção com o novo coronavírus entre trabalhadores, reclusos e jovens internados em Centros Educativos são hoje 327, indicou a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), que abrange cerca de 20 mil pessoas.

Covid-19: 327 casos ativos na esfera dos Serviços Prisionais e de Reinserção

Covid-19: 327 casos ativos na esfera dos Serviços Prisionais e de Reinserção

Os casos positivos de infeção com o novo coronavírus entre trabalhadores, reclusos e jovens internados em Centros Educativos são hoje 327, indicou a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), que abrange cerca de 20 mil pessoas.

Em comunicado, a DGRSP informou hoje que estão ativos 198 casos de infeção com o vírus da covid-19 entre reclusos, cinco entre jovens internados em centros educativos e 124 entre trabalhadores.

Paralelamente, regista 536 casos clinicamente recuperados entre reclusos, quatro entre jovens e 336 entre trabalhadores.

“A DGRSP, em articulação com a saúde pública, continuará a desenvolver o trabalho de prevenção e de acompanhamento clínico que permita a resolução favorável dos casos registados”, descreveu a direção-geral.

No mesmo comunicado, esta entidade deu nota da operação de testagem hoje no Estabelecimento Prisional de Caxias (distrito de Lisboa) e que revelou 84 casos positivos entre reclusos e 20 entre trabalhadores, num total superior a uma centena de infetados pelo novo coronavírus.

Segundo a DGRSP, no Estabelecimento Prisional de Izeda, no distrito de Bragança, prevê-se “para breve” a resolução do surto verificado na primeira semana de janeiro, o qual se traduziu em 68 reclusos infetados pelo novo coronavírus.

“Espera-se que tenham alta clínica a curto prazo”, apontou a direção-geral, especificando que a nova testagem realizada esta semana indicou “unicamente dois casos entre reclusos”.

Por estarem a cumprir quarentena, os reclusos do Estabelecimento Prisional de Izeda não estão a receber visitas e estão suspensas as atividades comuns.

“[A quarentena] implica o aumento da monitorização da saúde dos reclusos e uso obrigatório de máscara, em todos os locais e momentos, por parte de trabalhadores e de reclusos”, lê-se no comunicado.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.107.903 mortos resultantes de mais de 98,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, enquanto em Portugal morreram 10.194 pessoas dos 624.469 casos de infeção confirmados.

Hoje, de acordo com a DGS, Portugal registou 274 mortes relacionadas com a covid-19, o maior número de óbitos em 24 horas desde o início da pandemia.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

PFT // MP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS