Costa fecha tarde cultural em Maputo com um ‘pezinho’ de dança

O primeiro-ministro, António Costa, deu hoje um ‘pezinho’ de dança em Maputo com a artista Janeth Mulapha, que o surpreendeu no final de uma cerimónia no Centro Cultural Português.

Costa fecha tarde cultural em Maputo com um 'pezinho' de dança

Costa fecha tarde cultural em Maputo com um ‘pezinho’ de dança

O primeiro-ministro, António Costa, deu hoje um ‘pezinho’ de dança em Maputo com a artista Janeth Mulapha, que o surpreendeu no final de uma cerimónia no Centro Cultural Português.

O chefe do Governo participou na cerimónia de apresentação de três projetos subvencionados pelo programa PROCULTURA em Moçambique, no final da qual ofereceu um oboé à ministra da Cultura e Turismo de Moçambique, Eldevina Materula, que foi solista na Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música e dirigiu a orquestra Xiquitsi, projeto que promove o ensino se música clássica a crianças de meios desfavorecidos.

No final, quando saía do edifício para ir visitar a exposição “O apetrechar do tempo”, do moçambicano Gonçalo Mabunda e do luso-angolano Francisco Vidal, o primeiro-ministro foi surpreendido pela artista Janeth Mulapha.

Durante a sua atuação, com uma grande componente de expressão corporal e de martelo na mão, a bailarina ‘puxou’ António Costa para uma coreografia improvisada e o passeio na rua em frente do Centro Cultural Português virou uma pista de dança, onde os dois rodopiaram.

O primeiro de dois dias de visita oficial do primeiro-ministro a Maputo, cidade onde nasceu o seu pai, já tinha tido outro momento de dança, logo de manhã, quando um grupo de jovens fez uma demonstração dos estilos tradicionais no final. Na altura, o primeiro-ministro apenas assistiu.

Na sua intervenção no Centro Cultural Português, António Costa destacou que a cultura é gerador de crescimento e de riqueza e salientou que este programa, que é financiado pelo União Europeia e se destina aos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste permite “aproximar os países de língua portuguesa”, e também os continentes europeu e africano, dando “projeção global e internacional a todos”.

Quanto à exposição “O Apetrechar do tempo”, Costa considerou que “a transformação de objetos de guerra na promoção da paz é seguramente algo hoje particularmente necessário, inspirador e atual”.

Antes, a ministra da Cultura e Turismo de Moçambique Assinalou que Moçambique é o país com mais propostas submetidas ao PROCULTURA e que “40% dos projetos aprovados” são oriundos do país.

FM/LFO // JPS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS