Coronavírus. Continente online sobrecarregado só faz encomendas para a semana

O presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal garantiu hoje que não haverá problemas de produção e abastecimento de produtos alimentares, sobretudo de frescos como frutas, legumes, leite, carne e ovos, devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Coronavírus. Continente online sobrecarregado só faz encomendas para a semana

Coronavírus. Continente online sobrecarregado só faz encomendas para a semana

O presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal garantiu hoje que não haverá problemas de produção e abastecimento de produtos alimentares, sobretudo de frescos como frutas, legumes, leite, carne e ovos, devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus.

O Continente ‘online’ tem registado um “crescimento das encomendas” após confirmação do surto de Covid-19 em Portugal, indicou hoje da Sonae MC, acrescentando que as equipas estão a ser mobilizadas para dar resposta à maior afluência.

LEIA DEPOIS Corrida desenfreada aos supermercados deixa prateleiras vazias

“Após a confirmação dos primeiros casos de Covid-19 em Portugal, registámos um crescimento de encomendas no Continente ‘online’, sendo que temos estado a mobilizar as nossas equipas no sentido de dar a melhor resposta à maior afluência neste canal”, destacou a mesma fonte, em resposta à agência Lusa.

Esta quarta-feira ao final do dia, quem fez encomenda na app ou no site, já só pôde escolher receber a encomenda para a semana, dia 18, quando normalmente a entrega é feita logo no dia seguinte.

Frescos não vão faltar nas prateleiras

O presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal garantiu hoje que não haverá problemas de produção e abastecimento de produtos alimentares, sobretudo de frescos como frutas, legumes, leite, carne e ovos, devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus.

“Os agricultores estão perfeitamente sintonizados para que a cadeia de abastecimento dos produtos alimentares seja assegurada”, disse Oliveira e Sousa à saída de uma reunião da Concertação Social, em Lisboa, sobre os impactos da doença Covid-19.

Além disso, continuou o presidente da CAP, “há um esforço com as próprias cadeias das áreas de distribuição (…) para que não haja quebra de abastecimento de produtos”.

Segundo Oliveira e Sousa, “não vai haver falta de fruta, nem de legumes e os portugueses podem estar perfeitamente seguros”, pois existe “uma cadeia de abastecimento estabilizada em sintonia com as áreas comerciais e com as redes de distribuição”.

“Por isso, há aqui uma mensagem de tranquilidade: não haverá problemas em relação aos produtos alimentares, principalmente os frescos: carne, leite, ovos, legumes e frutas”, realçou o líder da CAP.

Eduardo Oliveira e Sousa disse que este tema foi “muito falado” durante a reunião desta tarde do Governo com os parceiros sociais, admitindo, porém, que possam surgir alguns problemas para as empresas do setor agrícola, que serão enquadradas nas medidas que estão a ser elaboradas pelo executivo. A Lusa também contactou a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED) sobre este assunto, encontrando-se à espera de resposta.

Na terça-feira, a APED reportou um “ligeiro aumento da procura de produtos” nos super e hipermercados associado ao surto de Covid-19, mas garantiu que estas unidades estão a funcionar “com total normalidade”.

“Até ao dia de hoje [terça-feira], quer o consumo, quer o abastecimento de produtos estão a decorrer com total normalidade, não existindo quaisquer limitações na aquisição de produtos. Esta situação é válida quer em loja física, quer nas plataformas ‘online’ dos nossos associados”, referiu a APED numa resposta escrita enviada à agência Lusa.

Segundo acrescentou, regista-se “apenas um ligeiro aumento da procura de produtos”, num “comportamento semelhante ao registado em situações anteriores da mesma natureza”.

 LEIA MAIS Tom Hanks e a mulher infetados com coronavírus

Texto: Marta Amorim com Lusa | Fotos: Dr

 

Impala Instagram


RELACIONADOS