COP27: Presidência da conferência diz que resultados cumprem objetivos iniciais

A presidência egípcia da Conferência da ONU sobre o Clima (COP27) admitiu hoje estar satisfeita com os resultados do encontro e defendeu que os acordos conseguidos cumprem o objetivo inicial de tornar esta a “conferência de implementação”.

COP27: Presidência da conferência diz que resultados cumprem objetivos iniciais

COP27: Presidência da conferência diz que resultados cumprem objetivos iniciais

A presidência egípcia da Conferência da ONU sobre o Clima (COP27) admitiu hoje estar satisfeita com os resultados do encontro e defendeu que os acordos conseguidos cumprem o objetivo inicial de tornar esta a “conferência de implementação”.

“Conseguimos confirmar o que queríamos: que fosse a conferência da implementação e que não ficaríamos satisfeitos com decisões tradicionais”, afirmou o presidente da COP27 e primeiro-ministro egípcio, Sameh Shukri.

Hoje de manhã, os países presentes em Sharm el-Sheikh, no Egito, aprovaram um documento que, entre outras questões, contempla a criação de um fundo de compensações aos países mais vulneráveis por perdas e danos causados pelas alterações climáticas cuja origem se deve sobretudo às nações mais desenvolvidas.

“Desde o início, tentámos promover a importância da implementação e isso traduziu-se no sucesso das longas e precisas consultas para aprovar um fundo de compensação por perdas e danos”, acrescentou Sameh Shukri.

Segundo o presidente da COP27, a criação do fundo foi uma “conquista”, “depois de cerca de 27 anos de pedidos e reivindicações de países africanos e em desenvolvimento” nesse sentido.

Shukri considerou ainda que o plano de Sharm el-Sheikh “apoia a ambição de manter [o aumento da] temperatura do planeta abaixo de um 1,5º Celsius abre a porta a esforços de redução das emissões” de fases que criam um efeito de estufa, pelo que se “espera que o plano seja aprovado na COP28”.

No seu discurso de balanço da COP27, o primeiro-ministro egípcio lembrou que 112 chefes de Estado e de Governo e cerca de 66.000 pessoas participaram na conferência do clima ao longo de 14 dias de trabalhos, debates e negociações, sublinhando tratar-se do “maior número de participantes num evento desse tipo”.

Várias organizações ambientalistas e a União Europeia valorizaram positivamente a criação do fundo para perdas e danos que foi estabelecido nesta cimeira, mas lamentaram que os objetivos de redução de emissões poluentes tenham ficado sem avanços significativos.

Várias dessas organizações consideraram que esse insucesso se deveu à influência de países produtores de petróleo, como a Arábia Saudita, aliada próxima do Egito, que pressionaram para que o tema fosse retirado da agenda.

A 27.ª Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas começou em 06 novembro e terminou hoje em Sharm el-Sheik, no Egito, juntando vários líderes mundiais e somando cerca de duas mil intervenções sobre mais de 300 tópicos.

PMC // JNM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS