Construção da ala pediátrica do hospital São João no Porto arrancou hoje

A obra de construção da ala pediátrica do Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ), no Porto, arrancou hoje com a instalação do estaleiro e deverá estar concluída em 18 meses, anunciou hoje aquela unidade de saúde.

Construção da ala pediátrica do hospital São João no Porto arrancou hoje

Construção da ala pediátrica do hospital São João no Porto arrancou hoje

A obra de construção da ala pediátrica do Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ), no Porto, arrancou hoje com a instalação do estaleiro e deverá estar concluída em 18 meses, anunciou hoje aquela unidade de saúde.

Congratulando-se com o começo da empreitada, o hospital refere estar a cumprir os prazos previstos e divulgados publicamente.

“Trata-se de um momento crucial no percurso do Centro Hospitalar Universitário de São João que dará uma resposta de qualidade às crianças e jovens da região Norte”, salienta.

A ala pediátrica, que ficará integrada no edifício principal, terá cinco pisos e mais dois subterrâneos e capacidade para 98 camas.

O novo espaço acolherá várias especialidades, incluindo a pediatria, neonatologia, medicina intensiva pediátrica, oncologia pediátrica, cardiologia pediátrica, cirurgia pediátrica e a primeira unidade de queimados pediátricos do Norte.

Em 30 de agosto, a ministra da Saúde, Marta Temido, congratulava-se no Porto com o cumprimento do calendário estabelecido em outubro de 2018 para a construção da ala pediátrica, empreitada orçada em cerca de 25 milhões de euros que deverá ficar concluída em 2021.

A governante falava na assinatura do contrato para a construção da obra, entre o CHUSJ e a Casais — Engenharia e construção, selecionada de um conjunto de 14 empresas convidadas.

Dada a urgência da construção da ala pediátrica, a Lei do Orçamento do Estado para 2019 autoriza o CHUSJ a recorrer ao procedimento de ajuste direto na contratação da empreitada.

Há 10 anos que o hospital tem um projeto para construir uma ala pediátrica, mas desde então o serviço era prestado em contentores.

No início de julho, o CHUSJ anunciou o fim do internamento de crianças em 36 contentores e referiu que estas estruturas, provisórias há cerca de 10 anos, seriam desmontadas.

SVF (JAP) // LIL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS