Concurso para Museu Nacional da Música em Mafra lançado até ao final do ano

O concurso público para instalar o Museu Nacional da Música no Palácio Nacional de Mafra vai ser lançado até ao final deste ano, reiterou hoje a secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, em Mafra, no Dia Mundial da Música.

Concurso para Museu Nacional da Música em Mafra lançado até ao final do ano

Concurso para Museu Nacional da Música em Mafra lançado até ao final do ano

O concurso público para instalar o Museu Nacional da Música no Palácio Nacional de Mafra vai ser lançado até ao final deste ano, reiterou hoje a secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, em Mafra, no Dia Mundial da Música.

“Está a acabar o prazo da empresa que está a elaborar o projeto de execução, e mal tenhamos na nossa posse [esse] projeto, o município vai lançar o concurso”, afirmou Ângela Ferreira à agência Lusa, adiantando que esse prazo termina no final deste mês.

Ângela Ferreira garantiu igualmente que o concurso vai ser lançado até ao final deste ano e as obras concluídas até ao final de 2023.

Trata-se de um investimento de quatro milhões de euros, dos quais três milhões são suportados pelo orçamento do Ministério da Cultura e, um milhão, pela Câmara de Mafra, entidade com quem a tutela estabeleceu uma parceria no sentido de vir a autarquia a lançar o concurso e acompanhar a execução da obra.

“Não estamos a falar de intervenção física no palácio enquanto elemento arquitetónico”, esclareceu a governante, explicando que o investimento maior é no “projeto de museografia”, estando também previstas intervenções na instalação de acessos verticais para pessoas com mobilidade condicionada e na climatização para cada instrumento e na zona das reservas do museu.

A secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira, falava à margem do anúncio dos vencedores do Prémio Internacional de Composição para os seis órgãos históricos do palácio.

O museu, atualmente instalado na estação de Metropolitano do Alto dos Moinhos, em Lisboa, tem uma das mais ricas coleções da Europa de instrumentos musicais, com um acervo composto por mil instrumentos dos séculos XVI ao XX, de tradição erudita e popular.

Fazem também parte do museu vários espólios documentais, e coleções fonográficas e iconográficas do maior relevo.

Entre os instrumentos classificados como Tesouro Nacional estão o cravo Taskin, de 1782, recentemente restaurado, e o cravo Antunes, de 1758.

O piano Boisselot, que o compositor e pianista Franz Liszt trouxe a Lisboa, em 1845, e o violoncelo de Antonio Stradivari, que pertenceu ao rei D. Luís, são outros tesouros do museu.

O violoncelo de Henry Lockey Hill, de Guilhermina Suggia, os violinos e violoncelos de Joaquim José Galrão, os clavicórdios setecentistas das oficinas lisboetas e portuenses são outros destaques da coleção, assim como os raros cornes ingleses Grenser e Grundman & Floth, do final do século XVIII, e as flautas de Ernesto Frederico Haupt, de meados do século XIX, que são exemplares únicos.

FCC // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS