Coletes amarelos anunciam

Coletes amarelos anunciam “marcha pacífica” até Paris para exigir referendo

Os ‘coletes amarelos’ do sudeste da França anunciaram hoje uma “marcha pacífica” até Paris, onde esperam reunir-se com manifestantes de outras partes do país para exigir um referendo de iniciativa cidadã (RIC) “sem restrições”.

Os primeiros passos vão ser dados no domingo em Boulou, junto à fronteira com Espanha, por cinco ou seis membros do movimento ‘coletes amarelos’, enquanto no dia 16 sairá um segundo grupo de Marselha, estando previsto a chegada de ambos à capital francesa no dia 17 de março.

“Estamos em contacto com outras colónias de ‘coletes amarelos’ que sairão da Bretanha (noroeste), Dunquerque (norte), Bordéus (sudoeste) ou Estrasburgo (este) para que se juntem a nós na capital. Queremos um RIC sem restrições, lutamos pela justiça fiscal e social, ecologia e apoiamos manifestantes que sejam vítimas de violência policial e decisões judiciais abusivas”, disse Sarah Chabut, membro do movimento em Gard, no sul.

O designado movimento dos ‘coletes amarelos’, que já apresentou uma lista às eleições para o Parlamento Europeu, surgiu em França em novembro para contestar o aumento do preço dos combustíveis e a perda de poder de compra dos franceses, alargando-se depois a outras questões.

Desde 17 de novembro milhares de pessoas têm-se manifestado todos os sábados envergando coletes refletores de segurança rodoviária.

Algumas dessas manifestações degeneraram em violência, com automóveis e contentores de lixo incendiados e confrontos com as forças policiais, que fizeram pelo menos dez mortos e milhares de feridos.

AXYG (MDR) // FPA

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Coletes amarelos anunciam “marcha pacífica” até Paris para exigir referendo

Os ‘coletes amarelos’ do sudeste da França anunciaram hoje uma “marcha pacífica” até Paris, onde esperam reunir-se com manifestantes de outras partes do país para exigir um referendo de iniciativa cidadã (RIC) “sem restrições”.