Coimbra celebra cinco anos de Património Mundial com concertos, visitas e debate

Coimbra celebra cinco anos de Património Mundial com concertos, visitas e debate

A celebração do 5.º aniversário da classificação da Universidade de Coimbra, Alta e Sofia como Património Mundial arranca na sexta-feira, num programa que conta com espetáculos, visitadas guiadas e um debate.

Coimbra, 21 jun (Lusa) – A celebração do 5.º aniversário da classificação da Universidade de Coimbra, Alta e Sofia como Património Mundial arranca na sexta-feira, num programa que conta com espetáculos, visitadas guiadas e um debate.


O Sons da Cidade, evento que assinala a inscrição de Coimbra na UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), começa na sexta-feira e termina no domingo, este ano com um convite à “deambulação” pela cidade.


No primeiro dia da iniciativa, haverá a inauguração do memorial Universidade de Coimbra, Alta e Sofia, o espetáculo “Jungle Red”, de Carlota Lagido, e a exibição do filme “Universidade de Coimbra, Alta e Sofia: Vamos Descobrir?”, que procura enquadrar a história do património classificado ao público escolar, quando visitam Coimbra.


Nesse mesmo dia, pelas 14:30, decorre uma conversa intitulada “Universidade de Coimbra, Alta e Sofia: Património Mundial”, com intervenções do representante de Portugal junto da UNESCO, António Sampaio da Nóvoa, o presidente da Comissão Nacional da UNESCO, José Filipe Moraes Cabral, e o titular da cátedra UNESCO “Diálogo Intercultural em Patrimónios de Influência Portuguesa”, Walter Rossa.


No sábado, haverá visitas guiadas com diferentes perspetivas sobre o património da cidade – do património construído durante o Estado Novo, aos colégios universitários e às histórias dos moradores da Alta de Coimbra.


Entre sábado e domingo, é apresentada a performance “Já Só o Vento Canta”, dirigida pelo poeta sonoro Américo Rodrigues e com a participação de várias pessoas, que, deambulando pela Alta, apresentam um trabalho experimental, onde abordam escritores com uma ligação a Coimbra, como José Régio, Miguel Torga ou Herberto Helder, num projeto que trabalha tanto a palavra, como o som ou o movimento.


Ainda no sábado, também é apresentado “ECOimbra”, um projeto de Carlos Alberto Augusto (programador da área da música na Coimbra Capital Nacional da Cultura, em 2003), que junta seis percussionistas na Praça do Comércio, acompanhados por um trabalho sonoro pré-gravado e difundido em vários pontos da praça.


No último dia de festa, há uma apresentação pública de um ensaio corrido do “Sofia, Meu Amor”, um espetáculo da Trincheira Teatro, na Rua da Sofia, que vai estrear no dia 30.


O Sons da Cidade termina com um concerto no Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV) da cantora brasileira Adriana Calcanhotto, embaixadora da Universidade de Coimbra.


Todos os eventos são gratuitos com exceção do concerto de Adriana Calcanhotto e de um jantar no Largo do Poço.


Esta é uma iniciativa coorganizada pela Universidade de Coimbra, Câmara Municipal de Coimbra e Jazz ao Centro Clube.



JYGA // SSS

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Coimbra celebra cinco anos de Património Mundial com concertos, visitas e debate

A celebração do 5.º aniversário da classificação da Universidade de Coimbra, Alta e Sofia como Património Mundial arranca na sexta-feira, num programa que conta com espetáculos, visitadas guiadas e um debate.