Clima: Manifestação em Lisboa termina com pedidos e promessas

A manifestação pelo clima que juntou centenas de jovens em Lisboa terminou cerca das 19:00 no centro da capital com apelos a novas políticas pelo ambiente e promessas de novas iniciativas.

Clima: Manifestação em Lisboa termina com pedidos e promessas

Clima: Manifestação em Lisboa termina com pedidos e promessas

A manifestação pelo clima que juntou centenas de jovens em Lisboa terminou cerca das 19:00 no centro da capital com apelos a novas políticas pelo ambiente e promessas de novas iniciativas.

Os manifestantes, na esmagadora maioria jovens, percorreram a Avenida da Liberdade, sempre com palavras de ordem como “justiça climática já” ou a já entoada noutras manifestações “não há planeta b”.

Criadas inicialmente pela jovem ativista sueca Greta Thunberg, que iniciou sozinha uma greve às aulas às sextas-feiras exigindo medidas para combater as alterações climáticas, este tipo de ações tornou-se comum e hoje decorreram de novo em vários países e em várias cidades de Portugal.

Em Lisboa, os organizadores optaram por uma marcha, com uma profusão de cartazes, desde um pequeno escrito em inglês e também transportado por uma menina onde se lia “you´re gonna kill us all”, a grandes faixas contra um acordo entre a União Europeia e o Mercosul, mercado comum de vários países da América do Sul, incluindo o Brasil.

O acordo foi considerado por manifestantes de servir para provocar o desmatamento da Amazónia, e nas intervenções finais o primeiro-ministro português, António Costa, foi desafiado a dizer “se está com a Amazónia ou se está com Bolsonaro” (Presidente do Brasil).

Nas intervenções do final da marcha os jovens pediram também empenho no corte de 50% de emissões de gases com efeito de estufa até 2030, a requalificação dos profissionais que vão perder empregos dos setores poluentes ou a proibição de “expansões portuárias e aeroportuárias”, entre outras medidas, como a de tornar obrigatório nas escolas o estudo das alterações climáticas e da ecologia. E anunciaram outras ações de defesa do clima, já em outubro.

Na base das ações de hoje em Portugal estiveram organizadores que fazem parte do movimento criado por Greta Thunberg, tendo-se juntado aos jovens elementos de organizações ligadas ao ambiente e deputados de pelo menos quatro partidos (Iniciativa Liberal, Verdes, Bloco de Esquerda e Pessoas, Animais, Natureza).

Também presentes e com uma ação paralela elementos do movimento “Parents For Future”, pais e mães igualmente inspirados no movimento criado por Greta Thunberg.

Na Praça dos Restauradores, não longe do local onde terminou a marcha (Rossio), o movimento de pais e mães colocou centenas de sapatos no chão, também para chamar a atenção para a “emergência climática”.

 

FP // ZO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS