Cientistas chineses transformam desperdícios vegetais em combustível para aviões

Cientistas chineses conseguiram transformar desperdício vegetal em combustível de alta densidade para aviões, num processo que aproveita a celulose das plantas e árvores apresentado num artigo publicado hoje na revista científica Joule.

Cientistas chineses transformam desperdícios vegetais em combustível para aviões

Cientistas chineses transformam desperdícios vegetais em combustível para aviões

Cientistas chineses conseguiram transformar desperdício vegetal em combustível de alta densidade para aviões, num processo que aproveita a celulose das plantas e árvores apresentado num artigo publicado hoje na revista científica Joule.

Cientistas chineses conseguiram transformar desperdício vegetal em combustível de alta densidade para aviões, num processo que aproveita a celulose das plantas e árvores apresentado num artigo publicado hoje na revista científica Joule. «O nosso biocombustível é importante para mitigar as emissões de dióxido de carbono porque deriva da biomassa e tem uma densidade maior quando comparado com os combustíveis para aviação convencionais», afirmou o autor do estudo, Ning Li, do Instituto de Física Química de Dalian, no sul da China.

Cientistas querem diminuir emissões de dióxido de carbono

Por ser mais denso, faz aumentar o alcance e a capacidade de carga de um avião com a mesma quantidade de combustível nos tanques e «diminuir as emissões de dióxido de carbono durante a descolagem e aterragem».

A celulose é um polímero natural que forma as paredes celulares das plantas, existe em abundância, e com o uso de desperdício de plantas e do corte de madeira, o processo de produção é mais simples e gasta menos energia, nota a equipa de Li, que acredita que em breve poderá chegar à produção em massa para uso comercial.

LEIA MAIS

Falámos com Sandra Felgueiras sobre o documentário de Maddie. «O Gonçalo Amaral mentiu-me»

Previsão do tempo para sexta-feira, 22 de março

 

Impala Instagram


RELACIONADOS