Chuva na Praia abençoa arranque de campanha para autárquicas em Cabo Verde

A chuva voltou a cair na cidade da Praia, no primeiro dia de campanha para as eleições autárquicas em Cabo Verde, com os praienses a pedirem civismo e respeito pelas normas para evitar a propagação da covid-19.

Chuva na Praia abençoa arranque de campanha para autárquicas em Cabo Verde

Chuva na Praia abençoa arranque de campanha para autárquicas em Cabo Verde

A chuva voltou a cair na cidade da Praia, no primeiro dia de campanha para as eleições autárquicas em Cabo Verde, com os praienses a pedirem civismo e respeito pelas normas para evitar a propagação da covid-19.

Contente com a chuva que caiu, David Mendes Gonçalves, 64 anos, espera que decorra tudo bem durante a campanha autárquica, e que todos respeitam as normas sanitárias para evitar a propagação da covid-19, como distanciamento físico, uso de máscaras, bem como evitar aglomerações de pessoas.

“E que cada um possa votar no seu partido e candidato de preferência no dia 25”, apelou este morador há 30 anos no bairro de Eugénio Lima, na Praia, mas natural do concelho de São Domingos, também na ilha de Santiago e vizinho da capital.

Quase um mês depois, a cidade da Praia voltou a registar chuva, que começou com alguma intensidade por volta das 11:00 locais (13:00 em Lisboa), depois de o dia amanhecer quente e com o sol abrasador na capital de Cabo Verde.

E todos foram apanhados de surpresa, em poucos minutos as ruas ficaram alagadas, o trânsito congestionado, algumas pessoas abriram o guarda-chuva, enquanto outras esgueiraram-se debaixo das varandas das casas, das árvores e de outros sítios.

A chuva caiu na cidade da Praia precisamente no primeiro dia de campanha para as eleições autárquicas, marcadas para 25 de outubro.

Há quase um mês, choveu com muita intensidade na capital do país, provocando a morte de uma criança, várias inundações, desmoronamentos e destruição de viaturas e edifícios, com a autarquia a precisar de investimentos de 2,5 milhões de euros para “repor a normalidade”.

Quem também espera que a campanha decorra na normalidade é Manuel Martins, que nasceu há 58 anos em São Tomé e Príncipe, filho de pais cabo-verdianos, e há cerca de 50 anos que vive na Praia.

Em declarações à agência Lusa, Manuel Martins quis deixar claro que não faz parte e não depende de nenhum partido político, mas espera bom comportamento de todos os candidatos autárquicos até ao dia da votação.

Nesse dia, apelou a todos para evitarem desentendimentos e aceitarem os resultados das urnas, e aos vencedores pediu para trabalharem para o desenvolvimento do seu respetivo município.

“Espero uma campanha com civismo, respeito e sem desentendimentos”, apelou Martins, sublinhando o “momento difícil” que todos estão a viver por causa da pandemia de covid-19.

Por isso, exortou para todos respeitarem as normas dos profissionais de saúde, como forma de evitar o contágio e aumento dos números da doença do arquipélago.

Por causa da chuva, não se via qualquer momento relacionado com a campanha na Praia, mas já há alguns cartazes colados nos postes de eletricidade e nas paredes, bem como grandes ‘outdoors’ em pontos definidos pela câmara municipal.

Cabo Verde realiza em 25 de outubro as suas oitavas eleições autárquicas, tendo até quarta-feira 6.624 casos de covid-19 diagnosticados desde 19 de março e 71 óbitos.

As anteriores autárquicas, votação em que são escolhidos os autarcas dos 22 municípios de Cabo Verde, decorreram em 04 de setembro de 2016.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e cinquenta e sete mil mortos e mais de 36,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

 

RIPE // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS