Central Tejo reabre com mostra de 138 obras de 58 artistas e património energético

Duas novas exposições, uma com 138 obras de 58 artistas da Coleção de Arte Portuguesa da Fundação EDP, e outra com peças de arquivo do património energético desta entidade, são inauguradas no sábado, na reabertura da Central Tejo, em Lisboa.

Central Tejo reabre com mostra de 138 obras de 58 artistas e património energético

Central Tejo reabre com mostra de 138 obras de 58 artistas e património energético

Duas novas exposições, uma com 138 obras de 58 artistas da Coleção de Arte Portuguesa da Fundação EDP, e outra com peças de arquivo do património energético desta entidade, são inauguradas no sábado, na reabertura da Central Tejo, em Lisboa.

A reabertura ao público do edifício histórico, parte integrante do complexo museológico do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT) da Fundação, que abriu em 05 de abril, acontecerá um dia depois da apresentação de uma programação especial de início da temporada, segundo a instituição.

Na sexta-feira, entre as 14:00 e as 20:00, vão decorrer uma mesa-redonda com os curadores Aric Chen, Martina Muzi e Angela Rui, em conversa com Marcus Fairs, uma ‘performance’ digital de Ibiye Camp, uma conversa com Armin Linke sobre o filme “Oceanarium”, encomendado para a exposição “Aquaria”, patente no MAAT, e uma outra ‘performance’ de dados sobre “sonificação climática”.

Decorrerá no mesmo dia uma outra mesa-redonda com os ‘designers’ Ippolito Pestellini Laparelli (2050+), Claude Marzotto e Maia Sambonet (Óbelo studio), Daniel Zamarbide (Bureau) e Joana Pestana & Max Ryan, com moderação da curadora e crítica de arte Julia Albani.

Também irá realizar-se uma conversa da artista Alice dos Reis e do arquiteto Paulo Moreira com o crítico e curador de design Frederico Duarte, seguida de uma ‘performance’ ao vivo de Kid Robinn + Cii James, com sons do Bairro da Jamaica.

Na Central Tejo, as novas exposições são “Ensaio para uma Comunidade”, com 138 obras de 58 artistas que atravessam um período de 80 anos, cruzando gerações diversas, todas provenientes da Coleção de Arte Portuguesa da Fundação EDP, com curadoria do artista plástico Paulo Mendes, abrangendo todo o seu arco temporal, de 1942 ao presente.

A outra nova exposição tem como título “Contadores de Histórias”, e foi concebida pelo historiador de arquitetura e curador Joaquim Moreno, e reúne, pela primeira vez, diversas peças de arquivo, nomeadamente objetos visuais, instrumentos e aparelhos da Coleção de Património Energético da Fundação EDP.

O programa de sexta-feira decorre ao vivo no MAAT, e será transmitido através do canal da rede social Youtube e página do Facebook do museu, e, segundo a organização, o bilhete para esse evento dá também entrada no museu no fim de semana de 24 e 25 de abril, para ambos os edifícios.

AG // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS