Centenas de turistas retidos nas ilhas na Tailândia devido a tempestade. Já há mortos

Centenas de turistas ficaram hoje retidos nas ilhas do Golfo da Tailândia, devido à tempestade tropical Pabuk, que atravessa o sul do país com chuvas torrenciais e ventos fortes.

Centenas de turistas retidos nas ilhas na Tailândia devido a tempestade. Já há mortos

Centenas de turistas retidos nas ilhas na Tailândia devido a tempestade. Já há mortos

Centenas de turistas ficaram hoje retidos nas ilhas do Golfo da Tailândia, devido à tempestade tropical Pabuk, que atravessa o sul do país com chuvas torrenciais e ventos fortes.

Centenas de turistas ficaram hoje retidos nas ilhas do Golfo da Tailândia, com aeroportos regionais fechados e barcos ancorados devido à tempestade tropical Pabuk, que atravessa o sul do país com chuvas torrenciais e ventos fortes.

Segundo a agência noticiosa France-Presse, a tempestade Pabuk intensificou-se nas últimas horas, com ventos de 75 quilómetros por hora (km/h) e ondas de até cinco metros.

Um pescador da província de Pattani, perto da fronteira com a Malásia, morreu e outro membro da tripulação encontra-se desaparecido, após ondas de vários metros atingirem a embarcação, no momento em que regressava ao porto.

São esperadas chuvas torrenciais e ventos fortes em mais de 12 províncias, contudo as de Nakon Si Thammarat e Surat Thani, que incluem as ilhas turísticas de Koh Samui, Koh Tao e Koh Phangan, serão as mais atingidas.

Todas as ilhas do Golfo “serão afetadas porque Pabuk é enorme”, alertou Phuwieng Prakhammintara, diretor do Centro Meteorológico da Tailândia, em conferência de imprensa.

Segundo as previsões meteorológicas, a tempestade Pabuk não deve, no entanto, transformar-se num tufão, o que implica ventos de pelo menos 118 km/h.

Na quinta-feira, milhares de turistas começaram a sair de várias ilhas no golfo da Tailândia com a aproximação da tempestade tropical Pabuk.

Da ilha de Koh Phangan, uma das mais turísticas do país, as ligações marítimas para os restantes destinos no golfo tailandês foram suspensas às 12:30 (05:30 em Lisboa), prevendo-se que reabram no sábado à tarde, disse à Lusa uma das empresas gestora de serviços de ‘ferry’, Songserm.

Já depois da passagem do ano, entre 30 e 50 mil pessoas deixaram Koh Phangan, afirmou à agência de notícias France-Presse (AFP) o chefe do distrito, Krikkkrai Songthanee.

Apesar de as autoridades não terem emitido qualquer ordem de retirada, milhares de turistas começaram a sair na quarta-feira, antecipando o impacto da tempestade, que deverá atingir as ilhas de Koh Samui, Koh Phangnan e Koh Tao na sexta-feira à noite.

“Muitos turistas saíram, mas houve também muita gente que preferiu ficar, especialmente os residentes locais, que ficaram quase todos”, disse à Lusa um funcionário de uma unidade hoteleira de Koh Phangnan, Guilherme Toyosato.

De acordo com o brasileiro, os que ficaram estão a prevenir-se com o abastecimento de bens essenciais.

Também em Koh Samui, as autoridades anunciaram que estão a preparar abrigos para aqueles que decidiram não partir.

Pabuk é a primeira tempestade tropical a atingir esta zona do país fora da estação das monções em quase 30 anos.

“Esperamos ondas com cinco a sete metros, perto do coração da tempestade. Normalmente, no golfo da Tailândia, há apenas ondas de dois metros de altura”, disse o diretor do Centro Meteorológico da Tailândia, num comunicado à imprensa.

Pabuk, nome de um peixe-gato gigante existente no Laos, deverá causar fortes chuvas noutros destinos turísticos no mar de Andaman, como Krabi, e nas províncias vizinhas da Malásia, Pattani, Narathiwat e Yala.

 

a

Impala Instagram


RELACIONADOS