Centenário de Saramago assinalado no Folio com três exposições em Óbidos

Três exposições celebram José Saramago no Folio — Festival Literário Internacional de Óbidos, que nesta edição assinala o centenário do escritor também com apresentação de livros e a projeção de excertos do filme “José e Pilar”.

Centenário de Saramago assinalado no Folio com três exposições em Óbidos

Centenário de Saramago assinalado no Folio com três exposições em Óbidos

Três exposições celebram José Saramago no Folio — Festival Literário Internacional de Óbidos, que nesta edição assinala o centenário do escritor também com apresentação de livros e a projeção de excertos do filme “José e Pilar”.

O centenário de José Saramago (Azinhaga, Golegã, 16 de novembro de 1922 — Tías, Lanzarote, 18 de junho de 2010) começa a ser celebrado logo à entrada da vila de Óbidos pela mão de 26 artistas plásticos que aceitaram o desafio de ilustrar, com desenhos originais, páginas de vários livros do Nobel português da Literatura (1998).

A exposição, que se estreou no Festival Internacional de Literatura e Língua Portuguesa Lisboa 5L, em maio deste ano, inicia nesta edição do Folio – Festival Literário Internacional de Óbidos o seu percurso itinerante.

Páginas de obras como “Ensaio Sobre a Cegueira”, “Memorial do Convento” e “A Viagem do Elefante”, transcritas em painéis de grande dimensão, dão as boas-vindas aos leitores do Folio, convidando-os a apreciar as ilustrações de Alex Gozblau, Amanda Baeza, André Carrilho, André da Loba, André Ruivo, António Jorge Gonçalves, Bernardo Carvalho, Catarina Sobral, Cristina Sampaio, Daniel Lima, Filipe Abranches, João Carola, João Fazenda, João Maio Pinto, Madalena Matoso, Mantraste, Mariana, a Miserável, Nuno Saraiva, Pedro Brito, Pedro Lourenço, Pierre Pratt, Pedro Brito, Susana Carvalhinhos, Suza Monteiro, Tiago Albuquerque e Yara Kono.

Quarenta anos depois do lançamento da “Viagem a Portugal”, a viagem pelas exposições que celebram o escritor prossegue na Casa José Saramago, onde até dia 16 pode ser visitada a mostra “José Saramago, fotógrafo ocasional”.

Com curadoria de Rui Jacinto e Duarte Belo, a exposição revela uma faceta inexplorada do escritor, reunindo perto de três centenas de fotografias captadas durante a viagem, selecionadas, catalogadas e legendadas por ele próprio.

Na mesma casa, lugar ainda para a terceira mostra que celebra o Nobel, intitulada “Flores de Saramago”, composta por uma coleção de joias de autor desenvolvidas por MagnaDona.

As peças, inspiradas na obra “Os Poemas Impossíveis”, distribuem-se por vitrinas sob os títulos “Pequeno Casulo”, “Aprendamos o rito” e “Química”, cada um dos quais acompanhado de um poema do livro.

Saramago, que no final do Folio contará com um grande relevo esculpido em Óbidos pelo escultor Carlos Oliveira, estará ainda em destaque no lançamento do livro “A intuição da Ilha”, de Pilar del Rio.

O livro, que conta os dias de José Saramago em Lanzarote, será o mote para uma conversa entre a mulher do escritor e Anabela Mota Ribeiro, no dia 16, data em que serão também exibidos excertos do filme “José e Pilar”.

No mesmo dia, na Livraria do Mercado, será apresentada a recém-editada biografia do escritor “As 7 vidas de José Saramago”, de Miguel Real e Filomena Oliveira.

A biografia do Nobel será a última obra a ser apresentada nesta edição do Folio, que decorre na vila até ao dia 16, sob o tema “O Poder”.

Por 24 espaços da vila do distrito de Leiria passam, em 11 dias, cerca de 300 autores de cerca de dez países, para participarem no festival cuja programação integra 16 exposições, 36 concertos, 14 mesas de autores, 62 apresentações e lançamentos de livros, 16 oficinas, a que se juntam tertúlias, ‘workshops’, ‘masterclasses’ e sessões de cinema, entre muitas outras iniciativas.

O Festival Literário Internacional de Óbidos teve a sua primeira edição em 2015 e desenvolve-se em seis capítulos: Autores, Educa, Ilustra, Mais, BD e Boémia.

DA // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS