CE destina 300 milhões de euros para investigação e segurança nuclear

A Comissão Europeia (CE) adotou hoje o programa de investigação e formação Euratom, que receberá 300 milhões de euros para a investigação sobre a fusão nuclear e para melhorar a segurança nuclear.

CE destina 300 milhões de euros para investigação e segurança nuclear

CE destina 300 milhões de euros para investigação e segurança nuclear

A Comissão Europeia (CE) adotou hoje o programa de investigação e formação Euratom, que receberá 300 milhões de euros para a investigação sobre a fusão nuclear e para melhorar a segurança nuclear.

O programa Euratom contribuirá para melhorar a proteção contra as radiações e impulsionará as aplicações não energéticas da tecnologia nuclear, segundo informou hoje a Comissão, em comunicado.

As convocatórias deste ano centram-se no âmbito médico, apoiando as prioridades do Plano de Ação “Vencer o Cancro” da União Europeia (UE) e do Plano de Ação Samira, sobre as aplicações médicas das radiações ionizantes.

A comissária da Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude, Mariya Gabriel, sublinhou que o novo programa de trabalho tratará de aumentar a coordenação com os Estados-membro, através das associações.

Gabriel destacou que este programa vai além das questões energéticas tradicionais, como a segurança nuclear, para “abordar também preocupações sociais como a saúde e a educação”.

O Euratom estabelecerá uma estratégia para o Consórcio Europeu para o Desenvolvimento da Energia de Fusão, que tem por objetivo garantir o êxito do ITER, um projeto internacional de investigação e engenharia da fusão nuclear destinado a reproduzir os processos de fusão do Sol para criar energia na Terra.

Nesta linha, a Associação para a Fusão fornecerá os conhecimentos necessários, preparará as equipas europeias para a exploração do ITER e proporcionará a formação de uma nova geração de cientistas e engenheiros da fusão.

Por outro lado, a CE assegurou que o Euratom garantirá os mais altos níveis de segurança nuclear das centrais, os reatores de investigação, os materiais e os combustíveis, bem como a gestão dos resíduos radioativos e o desmantelamento.

A Comissão frisou que este programa de trabalho contribui para os esforços da UE de continuar a desenvolver “a liderança tecnológica e a promover a excelência na investigação e inovação nucleares”.

As convocatórias de propostas para 2021-2022 foram hoje publicadas no portal de financiamento e licitações da Comissão, após o que se abrirá o prazo de apresentação de candidaturas até 07 de julho.

O Dia da Informação do Euratom, que se realizará a 16 de julho, trará informação geral sobre o Horizonte Europa, assim como apresentações detalhadas do Programa de Investigação e Formação de 2021-2022.

AH // HB

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS