Grávida morre afogada em praia na Zambujeira do Mar

A mulher foi arrastada para as rochas. O marido tentou salvá-la mas acabou também por morrer

Grávida morre afogada em praia na Zambujeira do Mar

Grávida morre afogada em praia na Zambujeira do Mar

A mulher foi arrastada para as rochas. O marido tentou salvá-la mas acabou também por morrer

Casal de ingleses – um homem, de 34 anos, e uma mulher, de 33, grávida de quatro meses, – morreu este domingo, 6 de outubro, vítima de afogamento na Zambujeira do Mar, no concelho de Odemira, revelaram a Proteção Civil e a Polícia Marítima. O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja explicou que o alerta para a ocorrência foi transmitido aos bombeiros às 14:30.

LEIA DEPOIS

Previsão do tempo para esta segunda-feira, 7 de outubro

Casal ainda foi resgatado para o areal da praia

As duas vítimas ainda foram resgatadas do mar para o areal da praia «em paragem cardiorrespiratória», tendo sido sujeitas «a manobras de reanimação», mas sem sucesso, acrescentou a fonte. Contactado pela Lusa, o comandante local da Polícia Marítima de Sines e capitão do Porto de Sines, Rui Pedro Filipe, confirmou que o alerta chegou por volta das 14:30 e revelou que o casal são «de nacionalidade inglesa».

O homem foi ajudar a mulher, mas ao tentarem regressar deixaram de ser vistos

«A senhora, de 33 anos, é que estava na água em dificuldades e estaria agarrada a uma rocha e o homem foi ajudá-la. Mas, ao tentarem regressar [à praia], deixaram de ser vistos», precisou. Segundo o mesmo responsável, os surfistas que se encontravam na zona «tentaram ajudar e conseguiram detetar os dois corpos e levaram-nos para uma pequena praia a sul da Zambujeira do Mar».

O acesso a esse «pequeno areal» só foi possível com recurso a «um helicóptero da Força Aérea Portuguesa (FAP)», um EH-101 Merlin, que «trouxe as duas vítimas em paragem cardiorrespiratória para a praia da Zambujeira do Mar», onde «foram sujeitas a manobras de reanimação».

Os dois estrangeiros foram ainda transportados de ambulância, continuando em manobras de reanimação, para o Serviço de Urgência Básico do centro de Saúde de Odemira, onde acabou por ser «declarado o óbito», explicou Rui Pedro Filipe.

Época balnear terminou a 15 de setembro

O comandante local da Polícia Marítima de Sines lembrou que a época balnear acabou a 15 de setembro e que, por isso, esta, tal como outras praias, «já não são vigiadas, nem têm nadadores-salvadores». «Os elementos da Estação Salva-vidas de Vila Nova Milfontes e de Sines, com uma embarcação de semirrígida e uma mota de água, deslocaram-se de imediato para o local», tal como «a Polícia Marítima também acorreu à zona por terra», enquanto, no areal, «os bombeiros também tentaram logo fazer a reanimação», mas não foi possível salvar as duas pessoas, acrescentou.

Para o local foram mobilizados 21 operacionais, apoiados por sete meios terrestres, uma mota de água e um helicóptero, entre meios dos bombeiros, Polícia Marítima, GNR, INEM, Instituto de Socorros a Náufragos e FAP.

LEIA MAIS

Como acabar com a ansiedade e as noites mal dormidas

Impala Instagram


RELACIONADOS