Morreu o cantor dos Il Divo Carlos Marín

O cantor espanhol Carlos Marín, do grupo musical Il Divo, morreu este domingo, aos 53 anos, num hospital do Reino Unido. Banda tinha concerto marcado para hoje na Altice Arena, em Lisboa.

Morreu o cantor dos Il Divo Carlos Marín

O cantor espanhol Carlos Marín, do grupo musical Il Divo, morreu este domingo, aos 53 anos, num hospital do Reino Unido. Banda tinha concerto marcado para hoje na Altice Arena, em Lisboa.

O cantor espanhol Carlos Marín, do grupo musical Il Divo, morreu este domingo, aos 53 anos. O músico estava entubado e em coma induzido, há vários dias, na unidade de cuidados intensivos do Hospital Real de Manchester, em Inglaterra. A notícia da morte foi avançada pela própria banda nas redes sociais. “É com grande pesar que anunciamos a morte do nosso amigo e companheiro Carlos Marín. Os amigos, familiares e fãs vão sentir a sua falta. Nunca haverá outra voz com o espírito do Carlos”, assinala a mensagem. Ainda que a causa da morte não seja conhecida, a imprensa britânica está a avançar que o cantor sofreu complicações respiratórias relacionadas com a covid-19.

Marín estava internado desde 8 de dezembro

Carlos Marín, que estaria vacinado contra o novo coronavírus, deu entrada no hospital a 8 de dezembro. Três dias depois, Il Divo anunciavam oficialmente o adiamento de todos os espetáculos agendados até ao final do ano. Na quinta-feira, a promotora dos concertos agendados para este domingo, em Lisboa, e segunda-feira em Gondomar, tinha anunciado o seu adiamento para julho de 2022, “por motivos de saúde”.

Il Divo foi fundado por Simon Cowell, seguindo o desejo de criar um quarteto lírico integralmente masculino para interpretar canções míticas. Marín forjou a sua carreira como ator de musicais como “Os Miseráveis” ou “A Bela e o Monstro” e entrou em 2003 neste projeto, onde se encontravam ainda Urs Bühler, Sébastien Izambard e David Miller. Juntos editaram até hoje nove discos, desde o homónimo “Il Divo” (2004) até ao mais recente “For Once In My Life: A Celebration of Motown” (2021), com os quais venderam cerca de 40 milhões de cópias em todo o mundo. A solo, o barítono editou o disco intitulado “Portrait”, no qual criou uma versão de “Bohemian Rhapsody” dos Queen, entre outros êxitos. Os seus três companheiros, David Miller, Sebastien Izambard e Urs Bühler, recordaram, através da mesma rede social, que durante 17 anos estiveram juntos nesta “incrível viagem de Il Divo”, e que vão sentir a falta deste “querido amigo”.

Os Il Divo apresentaram-se oito vezes em Portugal — sempre com salas completamente esgotadas – e iam regressar com um espetáculo de celebração do Natal para decorrer este domingo, na Altice Arena, em Lisboa, e segunda-feira, no Multiusos de Gondomar, adiados na quinta-feira para 24 e 23 de julho de 2022, respetivamente.

LEIA AGORA
Rogério Samora confessou estar preparado para morrer

 

Impala Instagram


RELACIONADOS