Camões e FLAD assinam acordo para reforçar língua e cutura portuguesas nos EUA

O Camões – Instituto da Cooperação e da Língua e a Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) assinaram hoje um protocolo para aumentar o número de docentes, estudantes e investigadores da língua e cultura portuguesas nos Estados Unidos.

Camões e FLAD assinam acordo para reforçar língua e cutura portuguesas nos EUA

Camões e FLAD assinam acordo para reforçar língua e cutura portuguesas nos EUA

O Camões – Instituto da Cooperação e da Língua e a Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) assinaram hoje um protocolo para aumentar o número de docentes, estudantes e investigadores da língua e cultura portuguesas nos Estados Unidos.

No Dia Mundial da Língua Portuguesa, que se assinala hoje pela primeira vez, o Camões refere, em comunicado, que assinou com a FLAD “um novo protocolo de cooperação para reforçar o estudo, ensino e investigação da língua e cultura portuguesas nos Estados Unidos da América e aumentar o acesso à programação e avaliação curricular em língua portuguesa”.

“O objetivo é ter mais docentes, estudantes e investigadores da língua e cultura portuguesas nos EUA”, lê-se na nota.

Segundo o Camões, o ensino do português nos Estados Unidos conta com 18.627 alunos no ensino básico e secundário e 1.595 estudantes no ensino superior, apoiados por 386 e 18 docentes, respetivamente.

Este ensino registou um crescimento de 100% nos últimos 10 anos e a sua importância reflete-se “na sua acreditação como língua de acesso ao ensino superior, através do exame National Examinations in World Languages (NEWL) em português”.

De acordo com o Camões, o protocolo agora firmado pressupõe a promoção conjunta do NEWL em português, em parceria com os American Councils for International Education, que creditam as aprendizagens de língua portuguesa para acesso ao ensino superior nos EUA”.

“Para aumentar o número de alunos inscritos no exame NEWL em português, serão financiados os custos de participação dos alunos luso-descendentes”, refere-se no acordo.

Serão desenvolvidos “programas de formação de professores de língua e cultura portuguesas”, através da Coordenação de Ensino Português no Estrangeiro (EPE) que o Camões mantém nos Estados Unidos.

O protocolo prevê ainda a doação de materiais pedagógicos para o ensino da língua portuguesa nos Estados Unidos.

As suas instituições estão a considerar a criação de uma nova cátedra numa universidade dos Estados Unidos, que poderá vir a juntar-se à Cátedra do Camões, I.P. na Universidade de Berkeley, Califórnia, designada “Ana Hatherly”.

O primeiro Dia Mundial da Língua Portuguesa assinala-se hoje com uma cerimónia e um concerto ‘online’ em que participam duas dezenas de personalidades lusófonas da política, letras, música ou desporto.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) oficializou a data no ano passado, mas desde 2009 que, em 05 de maio, era comemorado o Dia da Língua e da Cultura Portuguesa, instituído pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

O português é falado por mais de 260 milhões de pessoas nos cinco continentes, ou seja, 3,7% da população mundial.

É língua oficial dos nove países-membros da CPLP (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste) e Macau, bem como língua de trabalho ou oficial de um conjunto de organizações internacionais como a União Europeia, União Africana ou o Mercosul.

SMM (CFF) // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS