Buscas por três desaparecidos após mau tempo continuam no centro de Itália

Bombeiros e equipas da proteção civil continuaram durante a noite de hoje, sem sucesso, as buscas pelos três desaparecidos, entre os quais uma criança, após as inundações que ocorreram no centro de Itália, que causaram a morte de 10 pessoas.

Buscas por três desaparecidos após mau tempo continuam no centro de Itália

Buscas por três desaparecidos após mau tempo continuam no centro de Itália

Bombeiros e equipas da proteção civil continuaram durante a noite de hoje, sem sucesso, as buscas pelos três desaparecidos, entre os quais uma criança, após as inundações que ocorreram no centro de Itália, que causaram a morte de 10 pessoas.

A delegação do Governo em Ancona confirmou na sexta-feira à noite a décima vítima, pelo que continuam desaparecidas três pessoas, um rapaz de 8 anos, uma mulher de 56 anos e um homem de 47 anos da localidade de Arcevia, que foi arrastado enquanto estava em seu carro devido à inundação do rio Misa.

Equipas de bombeiros de outras regiões do país também estão a trabalhar incansavelmente para ajudar os deslocados e pessoas cujas casas estão inabitáveis devido à água e lama, bem como para libertar estradas de troncos de árvores levados pela água.

Neste momento, há 150 pessoas sem casa, a maioria em Sinigalia, mas o número aumentará com o passar dos dias, pois muitos permaneceram nas casas de familiares e amigos, segundo as autoridades.

Também foi relatado que nas últimas horas o abastecimento de água que havia sido cortado em muitas dessas cidades foi retomado.

O primeiro-ministro, Mario Draghi, visitou as zonas afetadas e manifestou solidariedade para com as populações, para além do anúncio da declaração do estado de emergência e da chegada dos primeiros cinco milhões de euros para ajudas.

“É um desastre. Faremos todo o possível”, disse durante uma visita a Pianello di Ostra, a cidade que registou mais danos e quatro mortes.

Hoje, a maior preocupação é com o estado do tempo, já que é esperado uma nova onda de mau tempo, tendo sido decretado um estado de alerta amarelo em toda a região de Marche.

Na província de Ancona, choveu em duas ou três horas metade do que chove num ano na região. “Foi um evento extremamente intenso. Provavelmente o calor destes dias, colidindo com uma célula de ar frio, causou fenómenos tão violentos”, explicaram especialistas.

RCP // ZO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS