Buscas por Noah alargadas. Pegadas estão na direção de um percurso de água, confirma GNR

A GNR confirmou que as pegadas de criança encontradas perto do local onde desapareceu Noah estão na direção de um “percurso de água”. As buscas continuam e serão intensificadas até que a criança seja encontrada. Está prevista chuva e descida da temperatura nas próximas horas, o que dificultará as buscas.

Buscas por Noah alargadas. Pegadas estão na direção de um percurso de água, confirma GNR

Buscas por Noah alargadas. Pegadas estão na direção de um percurso de água, confirma GNR

A GNR confirmou que as pegadas de criança encontradas perto do local onde desapareceu Noah estão na direção de um “percurso de água”. As buscas continuam e serão intensificadas até que a criança seja encontrada. Está prevista chuva e descida da temperatura nas próximas horas, o que dificultará as buscas.

A GNR confirmou que as pegadas de criança encontradas perto do local onde desapareceu Noah estão na direção de um “percurso de água”. As buscas continuam e serão intensificadas até que a criança seja encontrada. O perímetro das buscas voltou a ser alargado e neste momento estão a ser feitas num espaço com 20 quilómetros de raio” Mantêm-se os 127 elementos no terreno.

Está prevista chuva e descida da temperatura nas próximas horas, o que dificultará as buscas.

A Polícia Judiciária voltou a ouvir o pai da criança esta manhã e tem seguido denúncias anónimas que vão chegando.

O pai juntou-se às buscas mais de 24 horas depois de ter sido dado o sinal de alerta. Tem ao lado Melina, a cadela que na altura terá acompanhado o menino.

As autoridades terão encontrado mais peças de roupa durante as buscas por Noah. Os calções, a fralda e uma bota. Durante a madrugada tinha sido encontrada uma camisola – que a mãe terá confirmado ser de Noah. Estaria como que dobrada, debaixo de uma pedra. As novas peças ainda não foram validadas pela família.

O alerta foi dado pela mãe que, ao acordar, deu pela falta do filho. O pai teria saído para trabalhar num terreno agrícola e quando a mulher acordou, o filho tinha desaparecido, bem como as galochas azuis. Eram cerca de 8h da manhã. A irmã, de seis anos, estava a dormir.

O pedido de ajuda da mãe.

A publicação na rede social Facebook chegou a ter a oferta de 500 euros de recompensa por informações sobre o menino, mas essa parte acabou por ser ocultada do pedido de ajuda. A mãe é portuguesa e o pai uruguaio, pelo que a publicação está escrita em português e inglês.

“As buscas durante a noite foram infrutíferas. A criança ainda não foi encontrada”, revelou Jorge Massano, oficial de comunicação e relações públicas do Comando Territorial da GNR de Castelo Branco, durante a manhã desta quinta-feira, à Agência Lusa. Foi feito um reforço dos meios. e que se encontram atualmente 28 efetivos no terreno.

A GNR e a Polícia Judiciária estão a fazer buscas no local, uma zona de mato, desde a manhã de quarta-feira. A área abrangida pelas buscas é atualmente “bastante alargada” e as autoridades contam ainda com a ajuda de populares, que se juntaram voluntariamente às buscas logo após o alerta, confirmou Jorge Massano à Lusa.

Segundo avança o Jornal de Notícias, os pais e avós de Noah são agricultores e muito prezados pela vizinhança, o que justifica as dezenas de pessoas que entretanto se juntaram às buscas, entre 70 e 80.

Pais Têm o hábito de deixar a porta de casa destrancada

Os pais de Noah terão dito à PJ  que o filho seria perfeitamente capaz de calçar as galochas sozinho. De acordo com o mesmo jornal, os pais terão o hábito de deixar a porta destrancada e recordaram até um episódio em que o menino seguiu o pai para o campo agrícola.

As equipas de busca têm vindo a ser reforçadas, integrando já equipas de mergulhadores que vão verificar linhas ou pontos de água que existam naquela área, designadamente poços.

“Neste momento [cerca das 10:00], o dispositivo conta com 63 elementos da GNR e mais de vinte agentes de proteção civil e temos no terreno as equipas cinotécnicas, drones e equipas de mergulhadores”, acrescentou.

Na quarta-feira, este responsável já tinha adiantado que o menino, com idade compreendida entre “os dois e os três anos”, terá desaparecido de casa e o alerta foi dado pelos pais, desconhecendo-se as circunstâncias do sucedido.

Além dos militares da GNR, a Polícia Judiciária também está no local.

 

Texto: Marta Amorim

(em atualização)

Impala Instagram


RELACIONADOS