Braga. Casal asfixia reformada com pano e lixívia

Os dois homicidas foram ontem à tarde ouvidos em primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Guimarães. Ficaram em prisão preventiva enquanto aguardam julgamento.

Braga. Casal asfixia reformada com pano e lixívia

Braga. Casal asfixia reformada com pano e lixívia

Os dois homicidas foram ontem à tarde ouvidos em primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Guimarães. Ficaram em prisão preventiva enquanto aguardam julgamento.

A mulher, reformada, Maria da Graça Ferreira, de 69, foi assassinada pelo namorado e pela mulher desta. Foi asfixiada até à morte, com um pano embebido em lixívia e amoníaco.

Júlio Araújo, de 61 anos, o namorado, fez com que esta assinasse o testamento em que passou a ser beneficiário da casa desta. Traçou o plano com a mulher, Helena Rita, de 48 anos, e esta segunda-feira marcou encontro com a vítima.

O homem agrediu a reformada violentamente e juntamente com a mulher, guardou o corpo durante 24 horas, para depois o deixarem num caminho de terra batida, tapado com um plástico. A mulher do assassino assistiu ao crime e ajudou na ocultação do cadáver.

LEIA MAIS Quase 2 mil pessoas frequentam programas para agressores de violência doméstica

Devido ao vento forte que se faz sentir, o plástico deixou o corpo a descoberto, tendo este sido descoberto na quarta-feira de manhã por dois jovens que por ali passavam. O casal foi detido pela Polícia Judiciária de Braga poucas horas após o corpo ter sido descoberto.

As autoridades descobriram em casa do casal as peças de ouro que retiraram ao corpo e ainda os cartões bancários da vítima.

Os dois homicidas foram ontem à tarde ouvidos em primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Guimarães. Ficaram em prisão preventiva enquanto aguardam julgamento.

Texto: Marta Amorim

Impala Instagram


RELACIONADOS