Braga. Assassinada pelo namorado e pela mulher deste

Júlio Araújo, de 61 anos, o namorado, fez com que esta assinasse o testamento em que passou a ser beneficiário da casa desta. Traçou o plano com a mulher, Helena Rita, de 48 anos, e esta segunda-feira marcou encontro com a vítima.

Braga. Assassinada pelo namorado e pela mulher deste

Júlio Araújo, de 61 anos, o namorado, fez com que esta assinasse o testamento em que passou a ser beneficiário da casa desta. Traçou o plano com a mulher, Helena Rita, de 48 anos, e esta segunda-feira marcou encontro com a vítima.

O caso da mulher morta em Braga e abandonada num caminho de terra ganha cada vez mais contornos. A mulher, reformada,  Maria da Graça Ferreira, de 69, foi assassinada pelo namorado e pela mulher desta.

Júlio Araújo, de 61 anos, o namorado, fez com que esta assinasse o testamento em que passou a ser beneficiário da casa desta. Traçou o plano com a mulher, Helena Rita, de 48 anos, e esta segunda-feira marcou encontro com a vítima.

O homem agrediu a reformada violentamente e juntamente com a mulher, guardou o corpo durante 24 horas, para depois o deixarem num caminho de terra batida, tapado com um plástico.

Devido ao vento forte que se faz sentir, o plástico deixou o corpo a descoberto, tendo este sido descoberto na quarta-feira de manhã por dois jovens que por ali passavam. O casal foi detido pela Polícia Judiciária de Braga poucas horas após o corpo ter sido descoberto.

As autoridades descobriram em casa do casal as peças de ouro que retiraram ao corpo e ainda os cartões bancários da vítima.

Texto: Marta Amorim

LEIA MAIS Homenagem a professor assassinado provoca 400 incidentes com alunos em França

Impala Instagram


RELACIONADOS