Bombeiros Ponte de Lima esperam travar incêndio na madrugada de sexta-feira

O comandante dos bombeiros de Ponte de Lima espera travar o incêndio que deflagrou hoje às 14.56, na Labruja, “a partir da meia-noite” e, disse não ter sido necessário retirar a popular do lugar de Felgueiras.

Bombeiros Ponte de Lima esperam travar incêndio na madrugada de sexta-feira

Bombeiros Ponte de Lima esperam travar incêndio na madrugada de sexta-feira

O comandante dos bombeiros de Ponte de Lima espera travar o incêndio que deflagrou hoje às 14.56, na Labruja, “a partir da meia-noite” e, disse não ter sido necessário retirar a popular do lugar de Felgueiras.

Contactado pela agência Lusa, Carlos Lima adiantou que o fogo tem duas frentes na freguesia da Labruja, e é o segundo que hoje deflagrou no concelho, na freguesia de Arcozelo.

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima, no distrito de Viana do Castelo, adiantou que, “a partir da meia-noite, está prevista uma boa oportunidade atmosférica para agarrar o incêndio, tirando partido da diminuição do vento e de alguma humidade”.

“Agora estamos a gerir o incêndio, para que não fuja muito da área que já está afetada. Já são uns bons hectares queimados”, afirmou o comandante.

Carlos Lima adiantou que a retirada da população do lugar de Felgueiras, em Moreira do Lima, inicialmente avançada à agência Lusa pelo presidente da Câmara de Ponte de Lima, “estava enquadrada no planeamento do incêndio, mas não foi necessária”.

“Houve outros lugares na mesma situação, foi feito o estudo, em coordenação com a GNR, do número de habitantes, os caminhos de fuga em caso de necessidade. Tudo preparado, o dispositivo estava pronto, mas não houve necessidade. Tudo correu bem”, sublinhou Carlos Lima.

O responsável adiantou que o incêndio não causou ferimentos nem em bombeiros nem na população e não afetou habitações.

Anteriormente à Lusa, o presidente da Câmara, Vasco Ferraz disse “haver suspeita de fogo posto, uma vez que o incêndio começou num local, os bombeiros conseguiram extingui-lo, mas já outro surgia num outro ponto, completamente oposto”.

De acordo com dados que constavam na página da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) na Internet, às 18:52 combatiam as chamas 123 operacionais, apoiados por 37 veículos e dois meios aéreos.

ABC // MSP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS