BE diz que Governo tem de deixar discurso vazio e contratar mais médicos

A coordenadora do BE, Catarina Martins, disse hoje que o problema do Serviço Nacional de Saúde (SNS) “não é da ministra, é das políticas”, e exortou o Governo a “deixar o discurso vazio” e a investir nos profissionais.

BE diz que Governo tem de deixar discurso vazio e contratar mais médicos

BE diz que Governo tem de deixar discurso vazio e contratar mais médicos

A coordenadora do BE, Catarina Martins, disse hoje que o problema do Serviço Nacional de Saúde (SNS) “não é da ministra, é das políticas”, e exortou o Governo a “deixar o discurso vazio” e a investir nos profissionais.

“Há três anos que ouvimos falar de comissões, grupos de trabalho, estudos, planos de contingência. É tempo de deixar o discurso vazio e redondo e investir nos profissionais do SNS. O SNS não funciona sem os profissionais”, sustentou a coordenadora bloquista, à margem da Marcha do Orgulho LGBTQIAP+, em Lisboa.

Questionada sobre se a ministra da Saúde, Marta Temido, tem condições para continuar a exercer o cargo, na sequência do encerramento de serviços de urgência em várias cidades, Catarina Martins respondeu que “a questão não é da ministra, é das políticas”.

A coordenadora do Bloco recordou as ocasiões, aquando da discussão dos orçamentos do Estado anteriores, em que o Governo disse que “o BE estava a ser intransigente, que não quis negociar”: “Talvez hoje fique claro que o BE tinha razão quando disse que recusaria os orçamentos dos últimos dois anos, que estavam a retirar médicos dos nossos hospitais”.

Na opinião de Catarina Martins “os jogos e os números do Governo provaram-se isso mesmo: só jogos”, mas “quando é preciso os médicos especialistas não estão lá”.

Interpelada sobre se há margem financeira para aumentar e contratar mais profissionais, com salários mais atrativos, a dirigente do partido respondeu perentoriamente “claro que há margem, é uma questão de escolha”.

Nos últimos dias, os serviços de urgência de vários hospitais, em particular os de obstetrícia e ginecologia, estiverem encerrados por falta de profissionais especializados.

AFE // JNM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS