Autoridades moçambicanas retiram mais de 300 livros escolares vendidos ilegalmente

A Inspeção Nacional das Atividades Económicas (INAE) de Moçambique retirou mais de 300 livros escolares de distribuição gratuita que eram ilegalmente vendidos no mercado informal em todo o país, anunciou hoje a entidade.

Autoridades moçambicanas retiram mais de 300 livros escolares vendidos ilegalmente

Autoridades moçambicanas retiram mais de 300 livros escolares vendidos ilegalmente

A Inspeção Nacional das Atividades Económicas (INAE) de Moçambique retirou mais de 300 livros escolares de distribuição gratuita que eram ilegalmente vendidos no mercado informal em todo o país, anunciou hoje a entidade.

Os 345 livros, de uso exclusivo das escolas públicas moçambicanas, foram recolhidos durante o primeiro trimestre do ano, numa operação que visava impedir a sua comercialização, avançou a porta-voz da INAE, Virgínia Muianga, citada pelo diário Notícias.

O Governo moçambicano distribuiu este ano 15 milhões de livros aos alunos do primeiro ao sétimo ano, uma medida que beneficiou seis milhões de alunos.

O custo anual da produção dos livros escolares gratuitos para o sistema de ensino moçambicano é de 17 milhões de dólares (15,3 milhões de euros), garantidos pelos parceiros de cooperação.

A educação obrigatória em Moçambique vai até à 9.ª classe, mas a distribuição gratuita de livros gratuitos só abrange os sete primeiros anos.

EYAC // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS