Autoridades da Florida querem retirar 375 mil pessoas devido a furacão

Autoridades da Florida querem retirar 375 mil pessoas devido a furacão

As autoridades da Florida, nos Estados Unidos, pediram a cerca de 375 mil pessoas para saírem de casa antes do “rápido fortalecimento” do furacão Michael, agora com ventos superiores a 200 quilómetros/hora (km/h).

Alimentada pelas águas quentes do golfo do México, a tempestade pode evoluir para um furacão de categoria 4 antes de entrar em terra, durante o dia de hoje, alertaram os meteorologistas.

A tempestade, atualmente um furacão de categoria 3, deve atingir a costa da Flórida, numa área pouco povoada, com uma série de aldeias de pescadores e praias de areia branca.

O governador da Florida, Rick Scott, classificou o Michael como “um furacão monstruoso”, enquanto o Presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, aprovou na terça-feira a declaração de estado de emergência para a Flórida.

A declaração do estado de emergência permite ao Departamento de Segurança Nacional (DHS, na sigla em inglês) e à Agência Federal de Gestão de Emergências (FEMA) a coordenação de todos os esforços, bem como a gestão dos fundos federais de resposta aos danos causados.

Na passagem pelas Caraíbas, o furacão deixou já pelo menos 13 mortos em El Salvador, Honduras e Nicarágua, segundo as agências oficiais de resposta a situações de emergência, e um rasto de destruição em Cuba.

A escala de classificação do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC) vai de 1 a 5. A categoria 1 respeita a ventos muitos perigosos, entre 119 e 153 km/h, que produzem alguns estragos, a 2 a ventos extremamente perigosos, entre 154 e 177 km/h, que podem causar destruição generalizada.

As consequências apontadas para a categoria 3 são as de uma eventual destruição devastadora.

FST (RN) // EJ

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Autoridades da Florida querem retirar 375 mil pessoas devido a furacão

As autoridades da Florida, nos Estados Unidos, pediram a cerca de 375 mil pessoas para saírem de casa antes do “rápido fortalecimento” do furacão Michael, agora com ventos superiores a 200 quilómetros/hora (km/h).