Artista português Daniel Henriques vai trabalhar com Frank Miller em novo Ronin

O artista português Daniel Henriques vai trabalhar com o argumentista e ilustrador norte-americano Frank Miller no regresso deste à personagem Ronin, no que será um dos primeiros lançamentos da nova companhia do histórico da banda desenhada.

Artista português Daniel Henriques vai trabalhar com Frank Miller em novo Ronin

Artista português Daniel Henriques vai trabalhar com Frank Miller em novo Ronin

O artista português Daniel Henriques vai trabalhar com o argumentista e ilustrador norte-americano Frank Miller no regresso deste à personagem Ronin, no que será um dos primeiros lançamentos da nova companhia do histórico da banda desenhada.

O anúncio do lançamento da nova empresa, de nome Frank Miller Presents, foi feito na semana passada, com o calendário – que inclui um retomar da série “Sin City” – a apontar novo material de Ronin para novembro, com pouca informação adicional a ser conhecida até ao momento.

De acordo com a publicação IGN, cada número de “Ronin: Book Two” (“Ronin: Livro Dois”, em tradução do inglês) vai ter 48 páginas e será publicado de forma bimestral, com argumento de Miller, que também vai fazer os ‘layouts’, e desenho de Philip Tan, contando com arte-final do português Daniel Henriques.

Uma das obras mais relevantes do longo currículo de Miller, “Ronin”, conta a história de um “guerreiro lendário”, um “samurai do século XIII desonrado e sem mestre” a quem é dada uma segunda oportunidade para vingar a morte do seu mentor.

“Subitamente renascido numa Nova Iorque futurista e corrupta do século XXI, o samurai descobre que tem uma última chance de recuperar a sua honra: tem de derrotar a reencarnação do assassino do seu mestre, o demónio Agat”, pode ler-se na sinopse de “Ronin” na página da DC Comics, que publicou a série em seis números entre 1983 e 1984.

“Consegui este trabalho por estar a começar parceria artística com o Philip Tan, comecei a colaborar em todos os projetos em que estava envolvido, o ‘Ronin’ inicialmente não iria fazer parte dos títulos que ia trabalhar, porque o Philip já tinha um estilo desenvolvido com aguadas para o projeto, mas tanto o Philip como o Frank gostam de arte manga, fizemos uma imagem onde eu, além de fazer arte final, fiz também ‘zipatones’ e foi muito bem recebido”, disse Daniel Henriques à Lusa, explicando que ‘zipatones’ são uma “técnica muito usada em manga”, em que tons cinzentos são usados para “criar textura e sombras”.

Com 36 anos, Daniel Henriques começou a carreira como assistente de arte-final e, entre 2011 e 2015, “contribuiu para títulos publicados pela Marvel, Image, Dark Horse e DC Comics, tendo a sua estreia editorial em “Venom vol.1”, segundo uma biografia disponibilizada pelo próprio.

Entre outros, já trabalhou para os seguintes títulos: Spawn, Gunslinger Spawn, King Spawn, Aquaman, Justice League, Green Arrow, Mortal Kombat X, Batman Arkham Knight, SuperGirl , Detective Comics e Shadow War Alpha.

Para além do regresso de Ronin, Daniel Henriques está a trabalhar em “Shadowhawk”, de Jim Valentino.

TDI // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS