Afinal, poderá não ter sido a arma de António Joaquim a matar Luís Grilo

Afinal, poderá não ter sido a arma de António Joaquim a matar Luís Grilo

A arma de António Joaquim pode nem sequer ter sido disparada. Desta forma, não há relação entre a bala encontrada na cabeça de Luís Grilo e a arma em nome do amante de Rosa Grilo.

A defesa de António Joaquim aguarda uma alteração na medida de coação do arguido uma vez que o relatório da balística foi inconclusivo, avança a TVI.

A arma de António Joaquim pode nem sequer ter sido disparada. Desta forma, não há relação entre a bala encontrada na cabeça de Luís Grilo e a arma em nome do amante de Rosa Grilo.

Ainda que não exista confirmação oficial, a TVI avança que a perícia balística não consegue concluir se a arma fez de facto algum disparo, quanto mais o da bala que matou Luís Grilo.

Em prisão preventiva desde 29 de setembro, António Joaquim pode agora deixar esta condição. O canal avança ainda que não foram encontrados registos de ADN do oficial de justiça nos pertences pessoais do triatleta.

António Joaquim mantinha uma relação extraconjugal com Rosa Grilo, mas já veio afirmar que queria terminar o caso e voltar para a ex.

LEIA MAIS: Amante de Rosa Grilo: «A Rosa contou-me que o Luís lhe batia»

O amante de Rosa Grilo foi ouvido pelo Ministério Público e 2 de novembro, nas instalações da Polícia Judiciária. À data, e segundo avançava o Observador, a defesa optou por não apresentar recurso para que a medida de coação seja reavaliada — como o fez Rosa Grilo, também ela em prisão preventiva.

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Afinal, poderá não ter sido a arma de António Joaquim a matar Luís Grilo

A arma de António Joaquim pode nem sequer ter sido disparada. Desta forma, não há relação entre a bala encontrada na cabeça de Luís Grilo e a arma em nome do amante de Rosa Grilo.