Angola quer conquistar SADC no domínio da formação em pescas — Governo

O Governo angolano quer elevar o Instituto Politécnico das Pescas – CEFOPESCAS -, inaugurado pelo Presidente angolano, a um “lugar de excelência” e à “conquista da região” da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

Angola quer conquistar SADC no domínio da formação em pescas -- Governo

Angola quer conquistar SADC no domínio da formação em pescas — Governo

O Governo angolano quer elevar o Instituto Politécnico das Pescas – CEFOPESCAS -, inaugurado pelo Presidente angolano, a um “lugar de excelência” e à “conquista da região” da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

Segundo a ministra das Pescas e do Mar angolana, Maria Antonieta Batista, a “conquista da região da SADC e um lugar de excelência nos ‘rankings'”, numa visão de “crescimento e desenvolvimento”, são metas primordiais da instituição.

O CEFOPESCAS, um investimento de 98 milhões de dólares (82,3 milhões de euros) financiados pelo Governo de Espanha, foi inaugurado hoje, pelo Presidente de Angola, João Lourenço.

Para a governante, a infraestrutura, localizada no município de Belas, sul de Luanda, com uma densidade populacional de mais de 1,2 milhões de habitantes, terá um “impacto social muito grande na comunidade onde se encontra”.

A ministra referiu que o instituto tem como objetivo “tornar-se em autoridade competente na formação média do setor, com prestígio nacional e internacional”.

Com capacidade para albergar 1.836 alunos, o CEFOPESCAS vai ministrar aulas do ensino médio da 7.ª à 13.ª classe.

De acordo com Maria Antonieta Batista, a instituição propõe-se formar quadros com qualidade, com o propósito de solidificar a carreira académica, e capazes de “responderem à carência de técnicos específicos” para o setor.

“Começa aqui hoje a missão de projetar o funcionamento do Instituto a favor do cumprimento do objetivo número 14 do Desenvolvimento Sustentável que é de conservar e utilizar de forma sustentável os oceanos, mares e recursos pesqueiros”, adiantou.

Entre várias dependências, a instituição, construída numa área superior de 5.600 m2 e distribuída em três pisos, contempla igualmente uma aérea de 832 m2, com as oficinas de pesca e tratamento de peixe, carpintaria naval, motores, soldadura e mecanização.

Conta ainda com residências para o alojamento de 310 alunos e 24 habitações unifamiliares para alojar professores.

DYAS // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS