Ana Luisa Amaral vence Prémio literário espanhol Leteo 2020

A poeta portuguesa Ana Luísa Amaral venceu o prémio literário espanhol Leteo, que estava suspenso desde 2017, e cuja entrega será realizada no dia 16 de outubro no Auditório Ciudad de León, noticiaram os órgãos de comunicação social espanhóis.

Ana Luisa Amaral vence Prémio literário espanhol Leteo 2020

Ana Luisa Amaral vence Prémio literário espanhol Leteo 2020

A poeta portuguesa Ana Luísa Amaral venceu o prémio literário espanhol Leteo, que estava suspenso desde 2017, e cuja entrega será realizada no dia 16 de outubro no Auditório Ciudad de León, noticiaram os órgãos de comunicação social espanhóis.

Este prémio é uma iniciativa da Direção de Ação e Promoção Cultural da Câmara Municipal de Leão e do Clube Leteo Cultural, que o resgataram depois de dois anos sem se realizar, por falta de orçamento.

“Recuperámos [o prémio], porque ele está a atingir a maioridade, e é um compromisso moral porque vi este prémio nascer e crescer”, afirmou a vereadora de Ação e Promoção Cultural, Evelia Fernández, destacando que durante esses anos passaram por Leão os melhores autores internacionais, como Antonio Gamoneda, Paul Auster e Juan Gelman, entre outros.

Segundo o responsável do Clube Leteo Cultural, o poeta Rafael Saravia, na segunda quinzena de outubro terá lugar uma nova edição da conferência organizada pelo Clube, que vai centrar-se na figura e na obra de Ana Luisa Amaral.

Trata-se de uma “das mais importantes poetas vivas de Portugal”, tendo sido também “duas vezes finalista do Prémio Rainha Sofia”, especificou, lembrando ainda o compromisso social da escritora.

Nascida em Lisboa, em 1956, Ana Luísa Amaral é uma poeta portuguesa, tradutora e professora de Literatura e Cultura Inglesa e Americana, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Tem um doutoramento sobre a poesia de Emily Dickinson e as suas áreas de investigação são Poéticas Comparadas, Estudos Feministas e Estudos Queer.

Embora a sua área literária seja essencialmente poesia, tem também publicadas obras de ensaio, teatro, ficção e literatura infantil.

A sua obra poética é editada em Portugal pela Assírio & Alvim.

Depois de ter sido suspenso em 2017 por falta de orçamento, e de Rafael Saravia ter recusado ofertas de Valladolid e Marbella para organizar o prémio nessas cidades — “o prémio nasceu aqui e eu quero que fique aqui”, argumentou o escritor -, o Prémio Leteo regressou este ano graças a um subsídio de 20 mil euros concedido pelo governo municipal.

Sem dotação monetária, o prémio tinha como candidatos favoritos autores como o sul-africano John Maxwell Coetzee, o português António Lobo Antunes, o holandês Cees Nooteboom, o japonês Haruki Murakami e o britânico Ian McEwan.

No âmbito das XIV Jornadas Culturais Leteo, são propostas atividades como a exposição de Reme Remedios, uma mesa redonda com intervenção de José Luis Puerto, a apresentação do livro de contos de Eduardo Boix e do livro de poesia de Arturo Borra.

Todas as atividades manterão um controlo estrito das medidas de segurança contra a Covid-19, tais como distância de segurança, capacidade limitada e uso obrigatório de máscara em todos os eventos.

AL // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS