Homem que se diz amigo de António Joaquim afirma ter assistido ao assassinato de Luís Grilo

Este homem, que se identificou em tribunal, diz que quem matou o triatleta foi António Joaquim e Rosa Grilo. O homem terá pedido protecção, segundo Hernâni Carvalho.

Homem que se diz amigo de António Joaquim afirma ter assistido ao assassinato de Luís Grilo

Este homem, que se identificou em tribunal, diz que quem matou o triatleta foi António Joaquim e Rosa Grilo. O homem terá pedido protecção, segundo Hernâni Carvalho.

O programa Linha Aberta, da SIC, acaba de noticiar que na passada sexta-feira, dia 24, um amigo de António Joaquim  – acusado do assassinato de Luís Grilo em coautoria com Rosa Grilo – terá entregue uma carta ao tribunal onde revela ter assistido ao crime e descreve-o pormenorizadamente.

Este homem, que se identificou em tribunal, diz que quem matou o triatleta foi António Joaquim e Rosa Grilo. O homem terá pedido protecção, pois tem medo de António Joaquim.

Caso esta nova informação se verifique e for tida em conta pelo tribunal, este pode ser um volte-face num caso que tem mantido o país em suspense.

O conteúdo desta carta é revelado pelo programa criminal da SIC. “Conheci o António no local de trabalho dele. Ele dava-me boleias até Alverca”, diz, revelando que ficaram logo amigos. Assim sendo, este homem diz que também conheceu Rosa Grilo. Esta teoria é colocada em causa uma vez que António Joaquim alega que, para o trabalho, se deslocava muitas vezes de transportes públicos e não de carro, como a carta dá a entender.

Esta carta terá sido entregue em mão, no tribunal de Vila Franca de Xira, no dia final do prazo permitido para o fazer. Recorde-se que a 10 de janeiro as alegações finais foram adiadas devido a novos elementos no processo.

Os supostos detalhes do crime

Segundo o que dirá a carta, escrita por este homem que diz ter assistido a tudo “A Dª Rosa deu com um pau na cabeça do Sr.Luís. De seguida, o António pôs uma almofada na cara do Sr. Luís Grilo e deu-lhe logo dois tiros.”

Lembre-se que a teoria de Rosa Grilo, que menciona angolanos, dá conta de que Luís Grilo foi morto com dois tiros. No entanto, as perecias dos médicos dão conta de apenas um.

Este homem vai mais longe e diz até que “O António e a D.ª Rosa transportaram o corpo para uma carrinha branca, Renault Kangoo. Recorde-se que até à data era o carro de Rosa Grilo, uma carrinha Opel Astra, o apontado como usado no transporte do corpo.

“O António disse-me para eu ir com ele na carrinha branca. Quando chegámos a um terreno muito longe, o António pôs o senhor Luís no terreno. Disse para eu não contar a ninguém ou fazia-me o mesmo que fez ao senhor Luís. Deu-me uma nota de 20 euros e largou-e sozinho, de madrugada, no Carregado. “

Aqui importa frisar que segundo a investigação, o telemóvel de António Joaquim terá dado sinal no Carregado já depois do desaparecimento de Luís Grilo.

Hernâni já revelou no programa que o suposto autor da carta esteve ligado ao caso Casa Pia na qualidade de testemunha,  que já esteve preso por pequenos delitos e que é conhecido das autoridades.  O advogado de António Joaquim já veio desvalorizar a carta e afirmar que não é a primeira vez que este tipo de cartas são entregues para atrasar o processo.

 

Texto: Marta Amorim | Fotos: Impala e DR

 

Impala Instagram


RELACIONADOS