Ameaças e críticas no Chipre devido à canção para a Eurovisão 2021, El Diablo

Membros da igreja ortodoxa do Chipre pediram hoje a substituição da canção com a qual o país competirá no Festival da Eurovisão por considerarem que a escolhida constitui um “escândalo para os cristãos”.

Ameaças e críticas no Chipre devido à canção para a Eurovisão 2021, El Diablo

Ameaças e críticas no Chipre devido à canção para a Eurovisão 2021, El Diablo

Membros da igreja ortodoxa do Chipre pediram hoje a substituição da canção com a qual o país competirá no Festival da Eurovisão por considerarem que a escolhida constitui um “escândalo para os cristãos”.

Membros da igreja ortodoxa do Chipre pediram hoje a substituição da canção com a qual o país competirá no Festival da Eurovisão por considerarem que a escolhida constitui um “escândalo para os cristãos”.

O protesto, organizado pela Associação Juventude Ortodoxa do Chipre, realizou-se à porta da rádio e televisão pública cipriota, CyBC, que escolheu, na semana passada, a canção “El diablo” para representar este ano o país na 65.ª edição do festival de música europeu.

Interpretada pela cantora grega Elena Tsagrinu, a canção cipriota desencadeou, após a sua apresentação na semana passada, protestos da igreja ortodoxa, que classificou o tema de “hino a satanás”.

 “É um hino às forças obscuras e proclama a submissão do homem às trevas e à humilhação”, afirmaram hoje os manifestantes.

“Em nome dos milhares de nossos cidadãos, convidamos-vos a cancelar a participação do Chipre no festival deste ano ou a substituir o tema e dar outro a Tsagrinu”, escreveram os organizadores numa carta dirigida ao diretor da CyBC, Grigori Malioti.

Os responsáveis da cadeia de televisão defenderam a eleição da canção e assinalaram que a letra fala de “uma batalha entre o bem e o mal e o dilema de uma mulher que cedeu à paixão do seu amante”.

Já foram recolhidas cerca de 17.000 assinaturas para pedir que o tema seja retirado do festival.

Na semana passada, uma pessoa que ameaçou incendiar o edifício da CyBC foi detida pela polícia.

 

 

LEIA AGORA
«Não haverá regresso à normalidade tal e qual a vivíamos», avisa ministra da Saúde
«Não haverá regresso à normalidade tal e qual a vivíamos», avisa ministra da Saúde
«A doença não está ultrapassada», teremos de «manter o distanciamento social», «usar máscara social nos espaços fechados» e manter o mais possível a «higienização das mãos», pede Marta Temido. (… continue a ler aqui)

Impala Instagram


RELACIONADOS