Álbum do pianista Vasco Dantas é “primeira escolha do ano” da revista alemã Orchestergraben

O álbum “Poetic Scenes” (2020), o terceiro do pianista Vasco Dantas, constituído por repertório alemão e português do período Romântico, é “a primeira escolha” deste ano da revista alemã Orchestergraben, foi hoje divulgado.

Álbum do pianista Vasco Dantas é

Álbum do pianista Vasco Dantas é “primeira escolha do ano” da revista alemã Orchestergraben

O álbum “Poetic Scenes” (2020), o terceiro do pianista Vasco Dantas, constituído por repertório alemão e português do período Romântico, é “a primeira escolha” deste ano da revista alemã Orchestergraben, foi hoje divulgado.

O álbum, editado em abril último, tinha já chamado à atenção da crítica internacional, nomeadamente da revista inglesa Gramophone, que o elogiou, e do Pizzicato Journal.

“Que ideia interessante e original de Vasco Dantas justapor as ‘Kinderszenen’ [‘Cenas Infantis’] de Schumann, as virtualmente desconhecidas transcrições de canções de Schumann por Carl Reinecke e peças para piano na tradição do fado”, lia-se na crítica inglesa que sailentava: “Mais importante ainda, o jovem virtuoso português é um músico atencioso e culto”.

O Pizzicato, por seu turno, escreveu: “Dantas não usa o humor lírico-poético básico, que corre como um fio por todas as peças, para vaidosa encenação e também para não definhar na poesia. Em vez disso, convence com o seu toque natural, que mostra uma relação igualmente natural com música”.

Do alinhamento do CD faz parte “Cenas Infantis”, de Richard Schumann, as transcrições de Carl Reinecke das canções de Robert Schumann, “Cenas Portuguesas – Cantiga d’Amor, Chula e Valsa Caprichos”, de Vianna da Motta, transcrições de Fados para Piano – “Hylário”, “Corrido”, “Tenho fome não de pão” e “Nolto Lento” -, de Alexandre Rey Colaço, Fado N.º 3 de “Páginas Portuguesas”, de Óscar da Silva, e “Fado”, de Eduardo Burnay.

No entender do Pizzicato Journal, trata-se de um “programa que é tão exigente quanto perigoso”. “Com coleções semelhantes de cenas poéticas, outros artistas naufragaram”, referindo o pianista chinês Lang Lang, cuja interpretação de “as ‘Cenas Infantis’, de Schumann se transformou num fiasco interpretativo”, escreveu a publicação italiana.

O CD foi editado pela Arts Profuktion, e “não houve financiamento por parte de nenhuma instituição portuguesa para a criação deste álbum”, lamentou o pianista, que se afirmou “muito contente” com a distinção.

Vasco Dantas nasceu wm 1992, no Porto, e licenciou-se em Música com “1st Class Distinction” no London Royal College of Music, tendo estudado com Dmitri Alexeev e Niel Immelman.

Concluiu o mestrado em Performance com nota máxima sob orientação de Herbert Koch, na Universidade de Münster, na Alemanha, onde foi aceite para doutoramento.

O pianista já ganhou mais de 50 prémios em competições internacionais na Alemanha, Grécia, Itália, Malta, Marrocos, Portugal, Espanha e Reino Unido.

Entre os mas recentes refira-se o Prémio Internacional Gian Claudio, em Roma, ‘Grand Prix’ no Concurso Internacional de Piano Valletta, o ‘Prix Spécial’ no Concours International de Piano Princesa Lalla Meryem, em Marrocos, o 1.º prémio no Concurso Internacional Porto Santa Cecília, o 1.º Prémio no Concurso Estoril e o Prémio Fundação Eng. António de Almeida.

No ano passado, estreou-se no Carnegie Hall, em Nova Iorque, com um recital de piano.

Em 2017, tinha atuado pela primeira vez na Rússia, com a Kremling Chamber Orchestra, no Grande Salão do Conservatório Tchaikovsky de Moscovo.

Em 2016, Vasco Dantas tocou com as orquestras Jülich Sinfonieorchester e Junges Sinfonieorchester Aachen, da Alemanha.

No ano anterior tinha sido a sua estreia na Ásia, com a Hong Kong Symphonia no Hong Kong Concert Hall.

Vasco Dantas já se apresentou com as orquestras Clássica da Madeira, Clássica do Centro, Clássica do Sul, do Festival de Música Juvenil, Filarmónica Portuguesa, Filarmónica das Beiras, Gulbenkian, e a Jovem Orquestra Portuguesa, entre outras.

NL // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS