Agricultores franceses protestam em Paris contra receitas estagnadas

O setor agrícola francês, descontente com receitas estagnadas e “concorrência desleal”, protestou hoje nas cidades de Lyon e Paris, à semelhança das manifestações de terça-feira de milhares de agricultores na Alemanha.

Agricultores franceses protestam em Paris contra receitas estagnadas

Agricultores franceses protestam em Paris contra receitas estagnadas

O setor agrícola francês, descontente com receitas estagnadas e “concorrência desleal”, protestou hoje nas cidades de Lyon e Paris, à semelhança das manifestações de terça-feira de milhares de agricultores na Alemanha.

O protesto atrapalhou o tráfego na capital francesa, Paris, enquanto agricultores de todo o país tentavam bloquear o acesso à cidade usando 1.000 tratores.

Os tratores irão permanecer estacionados na via que circunda Paris até que o Presidente francês, Emmanuel Macron, aceite reunir com os manifestantes, segundo a porta-voz do sindicato dos agricultores regionais, Elise Despiney.

Poderão permanecer estacionados por “horas ou talvez dias”, acrescentou.

“Responda, Macron!” era o principal pedido dos manifestantes que desfilavam em tratores e avançavam em direção ao extremo sudoeste da cidade, ocupando duas faixas da estrada enquanto eram mantidos sob escolta policial.

Alguns agricultores montaram tendas e acenderam fogueiras na estrada circular de Paris, enquanto outros manifestantes bloquearam a Avenida dos Campos Elísios.

De acordo com a presidência francesa, nenhuma reunião entre Macron e uma delegação do setor agrícola foi planeada.

As queixas dos agricultores incluem acordos de livre comércio que, segundo eles, os colocam em desvantagem, uma reforma do Governo que não aumentou as suas receitas e regulamentos que prejudicam o desempenho do setor.

O presidente do sindicato dos agricultores da região de Paris, Damien Greffin, culpou Macron pelos problemas dos agricultores, a quem chamou de “instrumento destas divisões” numa entrevista à BFM TV.

O ministro da Agricultura da França, Didier Guillaume, disse à rádio francesa Europe 1 que apoia “a raiva e o protesto” dos agricultores e que “já chega” de “denegrição permanente” e da disparidade entre moradores da cidade e agricultores.

O principal sindicato de agricultores organizou protestos em todo o país, incluindo um protesto semelhante com tratores em Lyon.

A polícia de Paris e Lyon aconselhou os condutores a permanecerem fora das estradas afetadas pelos protestos.

As manifestações na França surgem após protestos semelhantes na Alemanha na terça-feira, quando cerca de 10.000 agricultores se dirigiram a Berlim em 5.000 tratores para protestar contra as políticas agrícolas do Governo da chanceler alemã, Angela Merkel.

Em outubro, agricultores bloquearam estradas na Holanda em protesto contra a acusação de serem os culpados pela poluição por azoto naquele país.

A nova Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, garantiu hoje que a agricultura irá continuar no centro do debate europeu.

Diante do Parlamento Europeu (PE) em Estrasburgo, Ursula von der Leyen afirmou que a agricultura, que obtinha metade do orçamento da UE antes de começar a diminuir gradualmente, “irá continuar a ser uma parte valiosa da cultura e do futuro” europeus.

Horas antes de o PE dar ‘luz verde’ à nova Comissão Europeia, a alemã prometeu “acesso ao capital para jovens agricultores” para aumentar o seu rendimento e insistiu em agir contra a concorrência global injusta que os agricultores europeus temem cada vez mais que prejudique os preços do mercado interno.

Segundo a presidente eleita, os parceiros comerciais da UE “devem cumprir as normas ambientais europeias” se quiserem importar produtos agrícolas.

JZG // ANP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS