Administradora-delegada da Casa da Música demitiu-se por “motivos pessoais”

A administradora-delegada da Casa da Música, Maria Antónia Portocarrero, apresentou na terça-feira a demissão do cargo, invocando “motivos estritamente pessoais”, revelou hoje à agência Lusa fonte da instituição.

Administradora-delegada da Casa da Música demitiu-se por

Administradora-delegada da Casa da Música demitiu-se por “motivos pessoais”

A administradora-delegada da Casa da Música, Maria Antónia Portocarrero, apresentou na terça-feira a demissão do cargo, invocando “motivos estritamente pessoais”, revelou hoje à agência Lusa fonte da instituição.

“A decisão foi comunicada ontem [terça-feira] e prontamente aceite pela administração”, acrescentou a fonte sobre uma demissão que ocorre menos de um ano após ter tomado posse.

Dada a circunstância de Maria Antónia Portocarrero cessar funções a “curto prazo”, o “Conselho de Administração está a promover, em articulação com o Conselho de Fundadores da Casa da Música, uma rápida substituição”, acrescentou.

Em junho de 2021, o Conselho de Fundadores elegeu o novo Conselho de Administração para o triénio 2021-2023, e decidiu retomar a figura de administrador-delegado, que esteve em vigor apenas nos anos de 2006 a 2011.

Para a nova administração foram então eleitos o economista António Marquez Filipe, que chegou do conselho cessante, a consultora Graça Graça Moura, e os gestores Maria Antónia Portocarrero e Rui Amorim de Sousa, que já pertencera à administração da instituição, até 2013.

O conselho de administração da Casa da Música revelou a saída através de um comunicado interno, avançou hoje o jornal Público.

JFO // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS