Açores/Mau tempo: Cerca de 1.000 operacionais de prevenção na passagem do furacão “Lorenzo”

Perto de 1.000 operacionais, entre bombeiros, funcionários públicos, profissionais de saúde e forças de segurança, estão de prevenção para dar resposta à passagem do furacão pelos Açores.

Açores/Mau tempo: Cerca de 1.000 operacionais de prevenção na passagem do furacão

Açores/Mau tempo: Cerca de 1.000 operacionais de prevenção na passagem do furacão “Lorenzo”

Perto de 1.000 operacionais, entre bombeiros, funcionários públicos, profissionais de saúde e forças de segurança, estão de prevenção para dar resposta à passagem do furacão pelos Açores.

***Serviço áudio disponível em www.lusa.pt***

Angra do Heroísmo, Açores, 02 out 2019 — Perto de 1.000 operacionais, entre bombeiros, funcionários públicos, profissionais de saúde e forças de segurança, estão de prevenção hoje de madrugada nos Açores para dar resposta à passagem do furacão “Lorenzo” pelo arquipélago.

“Temos 350 bombeiros prontos para atuar em todo o arquipélago. Se contarmos com todos os operacionais que estão de alerta e em prevenção, todas as áreas das diferentes direções regionais, como as Obras Públicas, os Serviços Florestais, o Ambiente, as Forças Armadas, a PSP e a GNR, podemos dizer que chegamos muito perto dos 1.000 operacionais prontos ou de prevenção para atuarem”, adiantou o presidente da Proteção Civil dos Açores, Carlos Neves.

A maior proximidade do centro do furacão “Lorenzo” à ilha das Flores deve registar-se pelas 06:00 locais de hoje (07:00 em Lisboa), disse à Lusa o delegado local do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Por aquela hora, o centro do furacão deve estar a aproximadamente 100 quilómetros (km) a oeste da ilha das Flores, declarou Carlos Ramalho.

O “Lorenzo” irá afetar todo o arquipélago, mas “especialmente” esta ilha e a do Corvo, indica ainda o IPMA, sublinhando que os efeitos da tempestade começarão a sentir-se progressivamente madrugada dentro e na manhã de quarta-feira, antes e depois da maior proximidade do centro do furacão às Flores, portanto.

Segundo Carlos Neves, o agravamento do estado do mar levanta “preocupações”, mas foram tomadas medidas de prevenção, como o encerramento de troços junto ao mar e a remoção de embarcações para terra.

“Pensamos que foram tomadas todas as precauções possíveis. Não sabemos se a força do mar poderá vir a causar danos nas infraestruturas portuárias”, afirmou.

O presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores disse ainda que “foram realojadas algumas pessoas no concelho da Praia da Vitória”, pela município, como medida de prevenção, “por viverem em habitações degradadas”.

Para as ilhas das Flores e do Corvo (grupo Ocidental), prevê-se vento sueste rodando para noroeste com rajadas na ordem dos 190 km/h (com uma probabilidade de 40% de a rajada máxima ser superior a 200 km/h), chuva por vezes forte e ondas de sul passando a sudoeste, com altura significativa entre 10 e 15 metros. A altura máxima de onda pode atingir os 25 metros.

Já para o grupo Central (Pico, São Jorge, Faial, Graciosa e Terceira) é esperado vento sudoeste com rajadas até 160 km/h, períodos de chuva e ondas de sudoeste passando a oeste com altura significativa entre nove e 12 metros, podendo a altura máxima de onda atingir os 22 metros.

Nas ilhas do grupo Oriental – São Miguel e Santa Maria – deverá haver vento sul rodando para oeste com rajadas até 100 km/h, períodos de chuva e ondas de sudoeste com altura significativa entre sete e nove metros.

CYB (PPF) // FST

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS