Angola Telecom promete “partilha da infraestrutura” com a nova operadora Africell

A Angola Telecom, empresa pública de Telecomunicações, disse hoje que a entrada da quarta operadora de telefonia móvel no país, Africell Global, “não é um problema”, garantindo “disponibilidade para partilha de infraestrutura” com a empresa libanesa.

Angola Telecom promete

Angola Telecom promete “partilha da infraestrutura” com a nova operadora Africell

A Angola Telecom, empresa pública de Telecomunicações, disse hoje que a entrada da quarta operadora de telefonia móvel no país, Africell Global, “não é um problema”, garantindo “disponibilidade para partilha de infraestrutura” com a empresa libanesa.

“Estamos muito apostados em ser uma empresa de partilha de infraestrutura e se depender da Angola Telecom, a Africell não vai demorar a entrar no mercado, porque a nossa infraestrutura estará disponível do ponto de vista comercial”, afirmou hoje o presidente do conselho de administração da Angola Telecom, Adilson dos Santos.

Segundo o responsável, que respondia à Lusa durante uma conferência de imprensa, a abertura da Angola Telecom vai concorrer para que a nova operadora “não tenha necessidade de construir muitas vezes sites, torres e fibras”.

Por não ser oposto à entrada do novo operador, argumentou, a empresa pública de telecomunicações de Angola e a libanesa Africell têm já realizado “conversas regulares”.

“Já estamos com alguma conversa com a Africell, não será um problema para nós porque não somos antagónicos em relação a isso”, sublinhou Adilson dos Santos.

O responsável falava hoje em conferência de imprensa, em Luanda, sobre os desafios da empresa no capítulo das infraestruturas e investimentos.

A libanesa Africell Global venceu o concurso público para se tornar a quarta operadora de telecomunicações em Angola, conforme anunciou no princípio deste mês, em comunicado, o Governo angolano.

A empresa libanesa foi selecionada, em março, para apresentar uma proposta depois de ter sido a única empresa a formalizar uma candidatura ao concurso.

O Governo, através do grupo de trabalho interministerial, “considerando as observações levantadas pela comissão de avaliação no relatório de adjudicação”, informou que “a candidatura da empresa Africell Global Holding Ltd é a vencedora do concurso público para a atribuição do 4.º Título Global Unificado (TGU) para prestação de serviço público de comunicações eletrónicas”.

A fase de candidaturas decorreu entre 30 de setembro de 2019 e 22 de janeiro de 2020, na qual adquiriram peças do concurso três empresas (Africell, MTN da África do Sul e BAI Investimentos de Angola).

A fase subsequente, de apresentação de proposta técnica e financeira da única candidata, decorreu no período de 02 de março a 04 de maio de 2020.

“A comissão de avaliação concluiu que a proposta da Africell respondeu de modo satisfatório às exigências das peças do procedimento, assim como aos interesses do Estado angolano, prevendo-se que trará benefícios transversais a todos os setores económicos do país, bem como para a população de forma geral”, referiu o comunicado.

A nota acrescentou que a proposta também “será fator relevante de projeção internacional e de contínua captação de relevantes investimentos estrangeiros direto para Angola”.

Após a conclusão da negociação e provimento dos termos finais estabelecidos será concedida à Africell a licença TGU, para operar em território nacional e celebrará com o Instituto Angolano das Comunicações (Inacom) o respetivo contrato de concessão.

A Africell é uma operadora internacional, com 18 anos de atividade no setor das telecomunicações, disponibilizando serviços móveis, de Internet, televisão por subscrição e `mobile money`(dinheiro digital) a mais de 12 milhões de clientes.

Atualmente, Angola conta com três operadoras, com a Unitel a liderar o mercado, com cerca de 80%, à frente da Movicel, com cerca de 20%, e a Angola Telecom (empresa estatal em processo de privatização) com uma posição residual.

DYAS/RCR // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS