#2 Grande Reportagem | Seguranças privados: Das balas ao coração (vídeo)

Não perca a segunda parte da reportagem que lhe revela em primeira mão os testemunhos de cinco seguranças privados. Estes homens explicam-nos como tudo acontece nas ruas, discotecas e bares na noite lisboeta.

Nos últimos anos, cada vez mais imagens e testemunhos retractam as zonas de divertimento nocturno lisboetas, como locais onde a violência e o crime são uma realidade quase diária.

Roubos, esfaqueamentos, consumo abusivo de álcool e droga, venda de substâncias ilícitas, agressões, assédio sexual e tiroteios são alguns dos episódios mais comummente relatados por vítimas, autoridades, proprietários de estabelecimentos e seguranças privados. Os seguranças privados têm sido apontados como elementos que promovem e incitam essa mesma criminalidade e violência, ao invés de garantirem a segurança e pacificidade das ruas de Lisboa.

Mas quem são estes profissionais? Que tipo de formação têm? Que lugar ocupam nos crimes e atos de violência que ocorrem na noite de lisboa? Com que situações se deparam? Quais são os riscos, perigos e medos que enfrentam? Qual é o papel que têm ou devem ter perante agressões e desacatos? Serão os seguranças privados meros agentes catalisadores da insegurança que se vive?

Nesta grande reportagem, a Impala foi tentar responder a algumas destas questões e compreender qual é a verdadeira realidade que os seguranças privados vivem e vêem.

«Quando me apercebo tenho uma caçadeira apontada»

Na primeira parte desta reportagem fomos conhecer as histórias de vida e opiniões sobre a relação entre a violência e a segurança, na noite de Lisboa, de Carlos António (nome fictício), Fernando Marques, João Lopes, Jorge Mota e Valdemar Correia.

Na segunda parte desta reportagem, os cinco seguranças privados explicam que tipo de relação acreditam existir entre a PSP e estes profissionais. Desde as chamada de socorro às autoridades, a apresentação de queixas , aos prós e contras dos chamados «gratificados», seguranças privados explicam sem meias palavras como tudo acontece.

Perante certas alegações, a Impala tentou falar com a PSP, mas não obteve qualquer resposta. Contudo, Mário Andrade, presidente do Sindicato dos Profissionais de Polícia (SPP-PSP) clarifica o posicionamento por parte da força policial, perante os temas focados.

Clique play e saiba tudo!

Reportagem: Mafalda Tello Silva  |   Imagem e edição: Shauna Ashley

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

#2 Grande Reportagem | Seguranças privados: Das balas ao coração (vídeo)

Não perca a segunda parte da reportagem que lhe revela em primeira mão os testemunhos de cinco seguranças privados. Estes homens explicam-nos como tudo acontece nas ruas, discotecas e bares na noite lisboeta.