Sozinho ou com professor: qual a melhor forma de aprender um idioma?

Entre vantagens e desvantagens, saiba qual é considerado o melhor método para aprender um novo idioma no tempo mais curto possível.

Sozinho ou com professor: qual a melhor forma de aprender um idioma?

Sozinho ou com professor: qual a melhor forma de aprender um idioma?

Entre vantagens e desvantagens, saiba qual é considerado o melhor método para aprender um novo idioma no tempo mais curto possível.

Quando o assunto é Educação, não existe forma certa ou errada de se estudar determinado tema, apenas um objetivo em comum. Aprender um novo idioma hoje em dia é algo de que todos precisamos, seja para alavancar oportunidades no mercado de trabalho ou simplesmente beneficiar de outras atividades, como, por exemplo, em viagens.

Contudo, com uma rotina cada vez mais agitada e sem muito espaço para novas atividades, muitos encontram dificuldades para encontrar tempo para frequentar cursos ou acompanhar aulas regularmente.

A boa notícia é que também é completamente possível aprender um novo idioma sozinho, apesar de ser um processo menos metódico e eventualmente mais complicado. Um autodidata depende exclusivamente da curiosidade e do empenho em procurar mais e mais informações sobre aquilo que deseja aprender. No caso de um idioma, existem muitas formas de fazê-lo, seja através da leitura, assistindo a filmes e séries na língua nativa e até mesmo ouvindo músicas.

Vantagens e desvantagens

Alguns idiomas são mais fáceis de aprender do que outros, mas, no geral, é possível aprender uma nova língua com estas atividades quotidianas. A vantagem é que a pessoa pode fazer tudo no seu próprio tempo, sem a pressão de comparecer às aulas regularmente.

A desvantagem é que, inevitavelmente, não dá para ter uma aprendizagem completa, já que alguns fatores como pronúncia e conversação acabam não por não ser devidamente treinados. A pessoa até consegue perceber e escrever sem dificuldades, mas comunicar-se oralmente pode ser mais desafiante, problema que não existe em cursos com um professor, que geralmente é alguém que possui bastante vivência com o idioma.

Num curso de inglês online ou presencial, por exemplo, a metodologia de ensino é mais completa, e os alunos são ensinados desde o básico, que envolve ler e compreender palavras e frases, até à parte mais complexa, comunicar-se com outras pessoas.

As desvantagens seriam a necessidade de comparecer às aulas em dias e horários específicos, além do dinheiro investido. Por outro lado, todos os cursos têm prazo para serem concluídos, e só então é garantido que o aluno aprenderá o idioma dentro daquele período; sozinho, não existe tempo-limite.

Presencial ou online: qual caminho seguir?

De qualquer forma, o ideal seria balancear as duas coisas. Os cursos certamente fazem valer o dinheiro investido, mas estudar sozinho também é essencial. Quem consegue manter ambos vai certamente aprender num ritmo muito mais veloz. Uma coisa não precisa de substituir a outra, mas podem complementar-se perfeitamente.

Impala Instagram


RELACIONADOS