SEAT Tarraco quer explicar o que é realmente um SUV [fotos]

Conheça as principais particularidades do novo SUV da SEAT

SUV – Sport Utility Vehicle, em português veículo utilitário desportivo. «Um automóvel que transmita personalidade, força e prestígio», segundo o diretor de design da SEAT, Alejandro Mesonero-Romanos.

SEAT Tarraco está no topo da família SUV da SEAT, como o irmão maior do Ateca e do Arona, e mistura tecnologia de ponta, manejo dinâmico, prático e prático, com design elegante e progressivo. O Tarraco combina as muitas vantagens das suas dimensões maiores para oferecer um veículo que pode assumir todos os elementos da vida moderna.

O novo SUV combina os principais atributos de cada veículo da gama SEAT – design e funcionalidade, desportivo e conforto, acessibilidade e qualidade, tecnologia e emoção -, mas de uma forma que se adapte a uma maior variedade de estilos de vida. O novo SEAT Tarraco é projetado para condutores que precisam da utilidade de cinco ou sete lugares e a prática de uma posição de condução mais elevada, mas estão conscientes da estética de um veículo e apreciam o equilíbrio do Tarraco entre autoconfiança e elegância. Esse equilíbrio é mantido em ambos os níveis de acabamento disponíveis, SE e Xcellence.

Duas variantes de gasolina estarão disponíveis: uma unidade TSI de 1,5 litros e quatro cilindros e está ligada a uma transmissão manual de seis velocidades alimentando as rodas dianteiras, e uma oferta de 2,0 litros acoplada a uma caixa de câmbio DSG de sete velocidades e 4Drive sistema de tração total. Existem duas opções de diesel, ambos os TDIs de 2.0 litros, com potências de 150 e 190 PS, respectivamente. A variante de 150 cv pode ser conectada a uma tração dianteira, manual de seis marchas ou DSG de sete marchas com sistema 4Drive. A versão de maior potência está disponível apenas na caixa de câmbio DSD 4Drive / seven-speed. Mais tarde, o SEAT Tarraco também se beneficia de tecnologias de powertrain alternativas.

LEIA MAIS: Seat lança urbanos Beats Ibiza e Arona com espírito jovem

Porém, como é que se transforma uma mistura de tintas com mica em pó numa cor elegante? Agora que o SEAT Tarraco foi apresentado ao mundo, descobrimos o que está por trás do processo de criação deste tipo de veículos e as diretrizes do que será a linguagem de design do construtor:

Amor à primeira vista: 65% dos clientes que compram um SUV fazem-no pelo seu design exterior. E, de facto, as suas linhas são um dos elementos mais característicos. “São mais agressivas, fortes e imponentes”, comenta Xavier Villanueva, designer de exteriores da marca. A frente é uma das secções mais importantes no SEAT Tarraco: “a grelha está numa posição mais vertical face a outros tipos de veículos”. “Isto torna maior o capot deste grande SUV e eleva a aparência de robustez”, diz.

Novos desafios para os designers: o habitáculo de um SUV é comparativamente amplo face a outros modelos. Estas novas dimensões implicam desafio para a equipa de design: “os clientes esperam encontrar um bom equilíbrio entre conforto, ergonomia, prestações… e este é outro dos aspetos a ter em conta quando se projeta um automóvel deste segmento”, acrescenta Daniel Hervás, responsável de design de Interiores da empresa. No caso específico do SEAT Tarraco, a introdução de um ecrã flutuante foi um desafio para a equipa. “Apesar das suas dimensões, a consola central não pode perder a leveza de linhas”, conclui Hervás.

A identidade num pigmento: “o tamanho, a forma e o público-alvo determinam integralmente a gama cromática de cada modelo. Cada segmento tem a sua cor”, comenta Jordi Font, designer do departamento Color&Trim da SEAT. A paleta de cores de um SUV tem que expressar “segurança e proteção”. “Pede tons sóbrios ou metalizados e, dependendo do tamanho, pode-se jogar com o tejadilho bicolor ou outro tipo de acabamentos”, acrescenta Font. A do SEAT Tarraco é composta por oito tonalidades “que lhe dão esse ADN elegante que define o seu caráter”, conclui.

Vestidos para a ocasião: na hora de escolher os acabamentos para o maior SUV da SEAT, trabalharam-se materiais premium. “Foram selecionados tecidos do tipo melange e, pela primeira vez, acabamentos em cromado baço, que conferem ao carro um toque extra de sofisticação”, comenta Amanda López do departamento Color&Trim. Aliás, para testarem as múltiplas combinações possíveis, recorreu-se às potencialidades da realidade virtual.

Realidade virtual, a melhor aliada: seja para definir a aparência interior, as linhas exteriores ou as questões aerodinâmicas, esta tecnologia tem cada vez mais um papel decisivo. “Antes, com os renders, os designers podiam ver o seu trabalho com um realismo de 60%. Graças à realidade virtual, esse rigor passou para 90%. Isso permite poupar muito tempo no processo do design”, revela Manel Garcés, responsável pela Visualização na SEAT. Graças às reuniões de trabalho lado a lado, o departamento de Visualização oferece as ferramentas necessárias para otimizar o trabalho dos designers. “Em muito pouco tempo, a equipa de interiores pode ver em 3D o que desenhou minutos antes”, acrescenta Garcés.

Quatro modelistas e mais de 320 horas: apesar das novas tecnologias, fazer um novo modelo em argila continua a ser imprescindível para se ver, pela primeira vez em escala real, as dimensões do novo veículo. Na hora de dar forma ao Tarraco, foram utilizados 5.000 quilos de argila e o maior desafio foi o de “controlar o volume e as proporções de um carro tão grande”, comenta Carlos Arcos, modelista da empresa.

Lápis em repouso: o trabalho do departamento fica concluído com o freeze design, uma réplica em resina do que virá a ser o veículo final e que serve para que sejam aprovadas as linhas do novo modelo. Este é o último passo no processo de design e a partir daqui o projeto passa para as mãos dos engenheiros.

LEIA MAIS: Novo Seat Ibiza com alma cada vez mais alemã

Texto & fotos: Seat & NetCarShow


RELACIONADOS