Os perigos dos cigarros eletrónicos

Os cigarros eletrónicos estão associados ao aparecimento de queimaduras e outras doenças de pele.

Os perigos dos cigarros eletrónicos

Os perigos dos cigarros eletrónicos

Os cigarros eletrónicos estão associados ao aparecimento de queimaduras e outras doenças de pele.

Os cigarros eletrónicos estão associados ao aparecimento de queimaduras e outras doenças de pele. Uma investigação partilhada no Jornal da Academia Norte-Americana de Dermatologia revela que estes dispositivos «podem causar manifestações dermatológicas prejudiciais, incluindo estomatite, queimaduras, comichão e vermelhidão nos lábios e mãos».

LEIA DEPOIS
Cinco mitos sobre a alimentação que deve tomar nota já!

Cigarros eletrónicos e os malefícios que podem causar no organismo

Os cigarros eletrónicos são uma das alternativas ao tabaco convencional por não gerarem fumo, apenas vapor, e não conterem compostos químicos como alcatrão e monóxido de carbono. No entanto, não deixam de causar malefícios ao organismo. Prova disso foi a investigação realizada que teve como objetivo consciencializar os utilizadores dos cigarros eletrónicos. Após a análise dos dados apresentados, os cientistas concluíram que dermatite de contacto, queimaduras térmicas e lesões da mucosa oral, como estomatite, são condições constantemente associadas ao uso destes dispositivos.

Registou-se um grande número de casos de estomatite por nicotina, condição que causa inchaço e feridas no interior da boca

«Num dos casos relatados, por exemplo, observou-se que a paciente desenvolveu uma erupção eritematosa e comichão na mão, além de eritema e inchaço dos lábios, devido ao níquel que é libertado pela bobina responsável por aquecer o dispositivo», destaca Kédima Nassif, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Também se registou um grande número de casos de estomatite por nicotina, condição que causa inchaço e feridas no interior da boca. Este estudo levou os investigadores a concluíram que «o cigarro eletrónico não é uma alternativa totalmente segura ao cigarro convencional».  «Atualmente, o assunto está a gerar uma grande controvérsia entre os especialistas. Por isso, ainda são necessários mais estudos para avaliar os danos desses dispositivos tanto na pele quanto em outras áreas do corpo. O recomendado então é evitar o uso desses produtos até que se torne mais claro quais são os efeitos dos dispositivos eletrónicos para fumar no organismo», refere Kédima Nassif.

LEIA MAIS
Faça sexo e será mais difícil morrer de ataque cardíaco
Caroços no corpo… o que poderá ser?

Impala Instagram


RELACIONADOS