Ainda pode ver ‘As Obras Completas de William Shakespeare em 97 Minutos’ no Casino Lisboa

Estreou dia 12 de Setembro, no Auditório dos Oceanos Casino Lisboa e conta com a encenação de António Pires, interpretação de Pedro Pernas, Rúben Madureira e Telmo Ramalho, e coreografia de Sissi Martins. A produção é da UAU.

Ainda pode ver ‘As Obras Completas de William Shakespeare em 97 Minutos’ no Casino Lisboa

Estreou dia 12 de Setembro, no Auditório dos Oceanos Casino Lisboa e conta com a encenação de António Pires, interpretação de Pedro Pernas, Rúben Madureira e Telmo Ramalho, e coreografia de Sissi Martins. A produção é da UAU.

Estreou dia 12 de Setembro, no Auditório dos Oceanos Casino Lisboa e conta com a encenação de António Pires, interpretação de Pedro Pernas, Rúben Madureira e Telmo Ramalho, e coreografia de Sissi Martins. A produção é da UAU.

As Obras Completas de William Shakespeare em 97 Minutos é uma viagem pelas tragédias, comédias, peças históricas e sonetos do mais famoso e influente dramaturgo inglês. O espectáculo estreou em 1996 mas este ano, a peça sobe ao palco com um texto revisto e inúmeros apontamentos adaptados à era digital e às referências modernas da cultura pop.

Neste espectáculo pretende-se cortar a quarta parede, como sublinha Pedro Pernas, uma vez que “o público também é actor, pois respiramos com eles e esperamos pelas suas reacções e pela sua interacção”. “Temos de ser rodas dentadas de um relógio suíço, para o fazer em 97 minutos”, realça.

“Estamos a fazer todas as personagens, de todas as peças de Shakespeare – dá que pensar”, reitera Rúben Madureira.

37 peças em 97 minutos

Após a primeira semana de estreia deste espetáculo que fará digressão pelo país em 2020, o elenco falou com o nosso site.

“Nesta semana de estreia, os sentimentos estiveram sempre em turbilhão; não só pela expectativa de apresentar o espectáculo ao publico e esperar que fosse bem recebido, o que aconteceu, como também a sensação de que temos em mãos um espectáculo muito rigoroso mas que nos diverte por demais fazê-lo. Tudo isto misturado com o cansaço, natural, de toda a fase de ensaios que entrou pela semana da estreia adentro a todo o gás. Agora, reina o sentimento de vontade de estar em cena e a vontade de que o espectáculo cresça cada vez mais e que divirta todo o público que nos visitar”, revela Pedro Pernas.

Já Telmo Ramalho revela-se “cansado mas muito feliz”. “Esta última semana fizemos 7 espectáculos seguidos, o que foi ótimo para termos um primeiro contacto com o público e termos a verdadeira noção do ritmo que este espectáculo deve ter … que é um ritmo bastante alto”, conta.

A peça, literal e fisicamente exigente, exigiu por parte dos atores uma grande preparação. Antes da estreia leram não só o texto original inglês, mas também todas as peças criadas por Shakespeare.

“A preparação foi toda a cargo do António Pires e na Sissi Martins que desde a dramaturgia feita para nos enriquecermos literalmente das obras de Shakespeare (todas as 37), a encenação que é toda ela da linha teatral do encenador até ao trabalho físico da assistente de movimento tornaram este espetáculo virtuoso e de uma execução partiturada que nos obriga a um esforço físico e mental muito elevado, e absolutamente prazeroso”, esclarece Rúben Madureira.
O texto foi escrito por Adam Long, Daniel Singer e Jess Borgeson. Pode ver o espectáculo no Casino Lisboa, em Lisboa, até 29 de setembro, de quinta-feira a domingo.

Mais  informações e bilhetes aqui.

 

 

Fotos: Conceição Alves

Impala Instagram


RELACIONADOS