Os sabores de Norte a Sul do país no Restaurante Viva Lisboa

A nova carta do Restaurante Viva Lisboa é uma viagem de Norte a Sul de Portugal com a recriação de pratos tradicionais da gastronomia portuguesa adaptados aos dias de hoje.

Os sabores de Norte a Sul do país no Restaurante Viva Lisboa

A nova carta do Restaurante Viva Lisboa é uma viagem de Norte a Sul de Portugal com a recriação de pratos tradicionais da gastronomia portuguesa adaptados aos dias de hoje.

A nova carta do Restaurante Viva Lisboa pretende ser o reencontro com as origens, não só as do chefe Diogo Pimentel, mas também dos portugueses de Norte a Sul do país. Inserido no Neya Hotel Lisboa, o restaurante recebe clientes de todas as partes do mundo. Por isso mesmo, o chefe pretende dar a conhecer o que de tão bom tem o nosso país.

Menu é uma viagem ao nosso país

Aos 24 anos, o chefe Diogo Pimentel decidiu recriar pratos tradicionais da gastronomia portuguesa e adaptá-los aos dias de hoje. O novo menu começa no Alentejo. O creme de tomate com ovo escalfado e chips de presunto Alentejano dá uma previsão daquilo que serão os seguintes pratos. Sabores ricos e combinações improváveis.

O bulhão pato de cogumelos prima pela ausência de ameijoa. O empratamento é feito com flores cor de rosa que contrastam com o cinzento dos cogumelos, que são a ‘estrela’ do prato. A telha de cogumelos, também presente, é feita a partir das cascas dos mesmos, para que não haja desperdício, revelando, assim, um dos princípios pelo qual se rege o trabalho deste restaurante. A salsa complementa o prato e traz frescura.

Os secretos de porco ibérico grelhados são o expoente máximo de combinações de sabores inesperados. O molho adocicado de ameixa contrasta com o sabor forte da carne. Para acompanhar, tem arroz carolino de feijão e chouriço transmontano. O chefe utilizou o arroz numa alusão à sua terra natal, Coimbra, onde este faz parte da maioria dos cozinhados.

O menu termina em Braga com uma sobremesa de pudim abade de priscos, sorvete de limão e crocante de presunto. A acidez do  sorvete, que é feito no hotel, complementa o doce do pudim.

Restaurante Viva Lisboa com selo verde

Um dos princípios do Restaurante Viva Lisboa é a sustentabilidade. Tem certificação «Portugal Sou Eu», que atesta a aquisição de ingredientes nacionais e certificados. O aquecimento da água é feita através de energia solar e o consumo de gás e eletricidade são inferiores aos valores médios na hotelaria. O Restaurante é totalmente abastecido a energia verde (100% com origem em fontes renováveis).

Os ingredientes utilizados são locais e orgânicos e alguns neutros em carbono, como por exemplo o vinho. O plástico foi abolido do restaurante. Se for tomar algo, saiba que não serão servidas palhinhas de plástico. Os excedentes alimentares são doados.

LEIA MAIS
Entradas em museus e monumentos sob tutela da DGPC gratuitas na próxima quinta-feira
Começaram os jantares vínicos Quinta dos Machados

 

Impala Instagram


RELACIONADOS