Mudar a dieta pode adicionar-lhe dez anos de vida

Professora sénior em Nutrição, Alimentação e Ciências da Saúde explica como podemos acrescentar dez anos à nossa vida se mudarmos de dieta.

Mudar a dieta pode adicionar-lhe dez anos de vida

Mudar a dieta pode adicionar-lhe dez anos de vida

Professora sénior em Nutrição, Alimentação e Ciências da Saúde explica como podemos acrescentar dez anos à nossa vida se mudarmos de dieta.

“Todos queremos viver mais”, atesta Laura Brown, professora sénior em Nutrição, Alimentação e Ciências da Saúde da Universidade de Teesside, em Middlesbrough, na Inglaterra. “E muitas vezes dizem-nos que a chave para isso é fazer escolhas de estilo de vida mais saudáveis, como uma alimentação equilibrada, praticar exercícios, evitar fumar e não beber muito álcool. Vários estudos também mostraram que a dieta pode aumentar a expectativa de vida. Um novo estudo revelou agora que uma alimentação mais saudável pode prolongar a vida útil em seis a sete anos em adultos de meia-idade e, em adultos jovens, pode aumentá-la em cerca de dez anos”, diz Laura.

Os investigadores reuniram dados de vários trabalhos de investigação sobre dieta e longevidade, juntamente com dados do estudo Global Burden of Disease, que fornece um resumo da saúde da população de muitos países. Combinando todos estes dados, os autores estimaram como a expectativa de vida variou com mudanças contínuas na ingestão de frutas, vegetais, grãos integrais, grãos, nozes, legumes, peixe, ovos, laticínios, carne vermelha, carne processada e bebidas açucaradas.

Os autores produziram “uma dieta ideal para a longevidade, que compararam com a ocidental típica – que contém principalmente grandes quantidades de alimentos processados, como carne vermelha, laticínios com alto teor de gordura, alimentos ricos em açúcar, alimentos pré-embalados e baixa ingestão de frutas e vegetais. De acordo com a investigação, a dieta ideal incluía mais leguminosas (feijão, ervilha e lentilha), grãos integrais (aveia, cevada e arroz integral) e nozes, e menos carne vermelha, principalmente processada.

Os cientistas descobriram que “fazer a dieta ideal a partir dos 20 anos aumentaria a expectativa de vida em mais de uma década nas mulheres e homens dos EUA, da China e da Europa”, comenta Brown. “Também descobriram que mudar de uma dieta ocidental para a dieta ideal aos 60 anos aumentaria a expectativa de vida em oito anos. Para pessoas de 80 anos, a expectativa de vida pode aumentar em quase três anos e meio.”

Todavia, dado que “nem sempre é possível que as pessoas mudem completamente a sua dieta”, os investigadores também calcularam “o que aconteceria se as pessoas mudassem de uma dieta ocidental para uma dieta que estivesse a meio caminho entre a ideal e a ocidental típica”. E descobriram “que mesmo esse tipo de alimentação” – a que chamaram de “dieta de abordagem de viabilidade” – “poderia ainda aumentar a expectativa de vida para jovens de 20 anos em pouco mais de seis anos nas mulheres e pouco mais de sete anos nos homens”. Estes resultados mostram-nos que “fazer mudanças na dieta a longo prazo em qualquer idade pode trazer benefícios substanciais para a expectativa de vida”. Sublinhe-se, porém, que “os ganhos são maiores se essas mudanças começarem cedo na vida”.

As estimativas de expectativa de vida que este estudo faz baseiam-se “nas metanálises mais completas e recentes (um estudo que combina os resultados de vários estudos científicos) sobre dieta e mortalidade”. Embora as metanálises sejam, “em muitos casos, a melhor evidência, devido à quantidade de dados analisados”, ainda “produzem suposições com os dados”, o que pode fazer com que “diferenças importantes entre os estudos sejam ignoradas”. Também “vale a pena notar que as evidências para reduzir o consumo de ovos e carne branca eram de qualidade inferior à evidência que tinham para grãos integrais, peixes, carnes processadas e nozes”, nota Laura Brown.

“Há algumas coisas que o estudo não tomou em consideração. Primeiro, para perceber esses benefícios, as pessoas tinham de fazer mudanças na dieta dentro de um período de dez anos. Isto significa que é incerto se as pessoas ainda podem ver benefícios na sua vida se fizerem alterações na alimentação por um longo período de tempo”, esclarece. A investigação também “não levou em conta problemas de saúde passados, o que pode afetar a expectativa de vida”, o que significa que “os benefícios da dieta na longevidade refletem apenas uma média e podem ser diferentes para cada pessoa”, dependendo de “uma variedade de outros fatores”, como “problemas crónicos de saúde, genética e estilo de vida” – como “tabagismo, consumo de álcool e exercícios”. As evidências que esta nova investigação demonstrou são “mais robustas e extraídas de muitos estudos sobre o tema”, considera a especialista em nutrição. E “alinham-se com investigações anteriores que demonstraram que melhorias modestas, mas de longo prazo, na dieta e no estilo de vida podem trazer benefícios significativos para a saúde” – incluindo a longevidade.

Ainda não são totalmente claros todos os mecanismos que explicam por que a dieta pode melhorar a vida útil. Mas a dieta ideal que os investigadores descobriram neste estudo “inclui muitos alimentos ricos em antioxidantes”. Algumas investigações “em células humanas sugerem que estas substâncias podem retardar, ou prevenir, danos, uma das causas do envelhecimento”. A investigação nesta área, no entanto, “está em andamento”, sendo por isso “incerto se os antioxidantes que consumimos como parte da nossa dieta terão o mesmo efeito”. Muitos dos alimentos incluídos neste estudo também “têm propriedades anti-inflamatórias, o que pode igualmente retardar o aparecimento de várias doenças” e o próprio “processo de envelhecimento”. Claro que “mudar a dieta completamente pode ser difícil”. “Mas a simples introdução de alguns dos alimentos que aumentam a longevidade pode ter benefício”, confirma Laura. Uma alimentação que troque as gorduras animais pelo azeite, por exemplo, é o melhor começo, já que diminui os riscos de doenças como o cancro ou degenerativas.

Impala Instagram


RELACIONADOS