Limpe os excessos das festas com esta receita de elixir curativo de sopa de vegetais

Não perca esta receita. Este é um caldo bastante suave e também uma ótima alternativa de «bebida verde» para quem não se sente inclinado a consumir sumos verdes à base de ervas em pó.

Limpe os excessos das festas com esta receita de elixir curativo de sopa de vegetais

Limpe os excessos das festas com esta receita de elixir curativo de sopa de vegetais

Não perca esta receita. Este é um caldo bastante suave e também uma ótima alternativa de «bebida verde» para quem não se sente inclinado a consumir sumos verdes à base de ervas em pó.

Quem nunca ouviu os avós dizerem a célebre frase “do que tu precisas e de uma canja” perante qualquer enfermidade? A verdade é que caldos, preparados e canjas têm salvo muita gente ao longo dos anos.  Num novo livro,  Louise L. Hay juntou-se à sua colaboradora Heather Dane para recuperar um superalimento tradicional, adaptando-o às necessidades do século XXI

LEIA DEPOIS
A pessoa errada | Por que repetimos padrões nas relações?

Caldos, Preparados e Canjas é compêndio de receitas benéficas para a saúde, a beleza e a longevidade

Reunindo neste guia tudo o que é necessário saber sobre caldos, preparados e canjas, as autoras orientam e encorajam os leitores para que utilizem da melhor forma o valor nutricional e regenerador dos caldos – sejam estes de carne ou de legumes. Muito ricos em propriedades curativas, os caldos ajudam a purificar o organismo, são agentes de detox intestinal, aumentam os níveis de energia e ajudam a curar problemas de sono e de digestão.

Com dicas, receitas, instruções simples de seguir e muita informação sobre os benefícios para a saúde, Caldos, Preparados e Canjas é a chave para uma alimentação completa, saudável e saborosa. Em exclusivo, o nosso site tem duas receitas integrantes do livro que já se encontra à venda.

Caldo de Osso

Esta receita, da autoria de Brian Merkel, o talhante principal do Belcanto Meat Co., em São Francisco, oferece‑nos um caldo nutritivo, rico em gelatina e ideal para a confeção de todos os tipos de receitas. Este é o caldo que está ao lume vinte e quatro horas por dia no Belcanto Meat Co., um talho e restaurante que presta um serviço completo, aproveitando todas as partes dos animais. Esta entidade trabalha com carnes e aves biológicas e sustentáveis, de animais alimentados a erva e a pasto. Em certos caldos, predominam certos tipos de ossos, enquanto outros são confecionadas com quantidades apreciáveis de aparas de carne com tendões, apresentando‑se com uma tonalidade mais carregada e um sabor mais intenso. Encorajamos o leitor a explorar os seus caldos, utilizando diversos tipos de ossos e intensidades de assadura variáveis.

Tempo ativo de preparação: 30 minutos
Tempo total de preparação: 25 ½ horas ‑
49 ½ horas
Quantidade final obtida: cerca de 4 litros de caldo

INGREDIENTES

• 1 pé de porco inteiro, partido ao meio (regra geral são comercializados
partidos ao meio)
• 1,5 kg de ossos de bovino com carne (cortados em pedaços de
15 a 30 cm); solicite a inclusão de tendões, articulações e rótulas
• 1 kg de ossos de porco com carne (cortados em pedaços de 15 a
30 cm); os ossos do pescoço são excelentes, mas podem ser
quaisquer outros
• ½ kg de ossos de galinha com carne (dorsos, asas, carcaças
inteiras)
• 8 patas de galinha (ou de outros ossos de galinha, caso não consiga
encontrar patas de galinha)
Opcional: pele de porco, caso consiga encontrar (o ideal será
retirar a gordura da pele)

Preaqueça o forno a 205 oC. Cozedura prévia: leve o pé de porco à panela, cobrindo‑o com água a ferver, e deixe ao lume durante 20 minutos. Descarte a água. Transfira os ossos e o pé de porco para um tabuleiro, e leve ao forno durante 45 a 60 minutos, até que adquiram uma tonalidade dourada, sem chegarem a queimar. Retire os ossos do forno, transferindo‑os para uma panela de cozimento lento ou uma panela grande de aço inox, e cubra‑os
com água. Deixe cozer em lume brando durante 24 horas e, no máximo, durante 48 horas. De vez em quando, poderá retirar a gordura que aflora à superfície. Poderá observar uma ligeira descida do nível da água após várias horas de cozedura, e que os ossos afloram à superfície. Se for o caso, adicione um pouco mais de água, de modo a cobrir os ossos. Passe o seu caldo, uma a três vezes, por um passador de rede fina, até obter um líquido de cor âmbar sem partículas de carne em suspensão. Deixe arrefecer durante a noite; imediatamente antes de usar o caldo, remova a camada de gordura que se formou à superfície, reservando‑a para a confeção de outras receitas.

Elixir curativo de sopa de vegetais

(receita vegan: sabor levemente condimentado)

Esta receita, da autoria da médica intuitiva Rhonda Lenair, sendo um caldo de vegetais não contempla a formação de gelatina. O caldo de vegetais pode ser bebido ou utilizado noutras receitas que requeiram este tipo de caldo. Fizemos questão de o partilhar neste livro porque se trata de uma opção maravilhosa para as pessoas que não se sentem preparadas para o caldo de osso ou para o caldo de carne, ou para quem pretenda realizar uma limpeza ou uma desintoxicação suave. Este é um caldo bastante suave e também uma ótima alternativa de «bebida verde» para quem não se sente inclinado a consumir sumos verdes à base de ervas em pó.

 

Tempo ativo de preparação: 20 minutos
Tempo total de preparação: 1 hora e 20 minutos
Quantidade final obtida: 3‑4
litros

INGREDIENTES

Pode utilizar uma mistura dos vegetais que tiver em casa; não é obrigatório
usar todos os vegetais listados. O objetivo consiste em encher de
vegetais 1 3 a ½ da sua panela.
• Kale
• Couve‑flor
• Algum vegetal da família da cebola: alho‑francês,
chalotas ou
cebola
• Cenouras
• 1‑2
dentes de alho (pode cortá‑los
toscamente ao meio, sem
descascar)
• 1 ou 2 beterrabas (não precisa de as cortar, mas se desejar fazê‑lo,
basta parti‑las
ao meio)
• ¼ de chávena de gengibre fresco (podem ser pedaços grandes)
• Metade de um coração de couve‑roxa

• Cebola roxa ou doce, cortada em pedaços
• 3‑6
chávenas de salsa picada e/ou coentros ou manjericão fresco
• Agrião (utilize agrião uma em cada três vezes que confeciona
caldo, pois este vegetal é diurético, o que poderá não ser desejável
para toda a gente)
• Verduras de dente‑de‑leão
• Endívias cortadas (excelente para repor os níveis de eletrólitos)
Opcional: beringela cortada aos pedaços (a beringela é da família
das solanáceas, pelo que deverá ser evitada por quem é sensível a
estes vegetais; porém, uma das grandes virtudes da beringela
consiste no facto de ser anticancerígena)
Opcional: alga kombu (um pedaço de cerca de 5 cm)

As quantidades de cada vegetal ficam ao seu critério: não faz sentido imporem‑se medidas exatas. Tampouco é importante a maneira como corta os vegetais, pois estamos a falar de um caldo e, no final, os vegetais serão descartados após o cozimento. Coloque os vegetais numa panela de 12 litros e cubra‑os de água. Deixe levantar fervura (lume forte), baixando o lume logo de seguida. Tape a panela e deixe ferver durante uma hora. Seguidamente, filtre a água com um passador de rede fina, transferindo‑a para uma taça grande ou para frascos. Descarte os vegetais, juntando‑os à sua caixa de compostagem. Após uma hora ao lume, todos os nutrientes dos vegetais transitam para o caldo, restando apenas as fibras. Todavia, mesmo assim, muitas pessoas preferem não descartar os ingredientes, perguntando se podem consumir os vegetais. Logicamente que sim, se assim o desejarem, embora o sabor possa não ser propriamente agradável…

Louise Hay foi uma das fundadoras do movimento New Age.  Heather Dane é especialista em saúde natural e nutrição. Foi coautora e colaboradora de Louise Hay em diversos projetos.

LEIA MAIS
Previsão do tempo para quinta-feira, 14 de novembro
Colisão entre autocarro e camião na Eslováquia faz 13 mortos

Impala Instagram


RELACIONADOS